Hemonorte convoca doadores de sangue O positivo e O negativo

O Hemocentro do RN convoca doadores para repor, urgentemente, o estoque de sangue O positivo e O negativo que está em baixa. A medida tem como objetivo atender os pacientes internados na rede hospitalar da capital.

Podem doar as pessoas que tem entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos de idade precisam de consentimento do responsável legal); ser saudável; pesar acima de 50 kg; ter dormido 6 horas na noite anterior; evitar alimentos gordurosos antes da doação, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores e apresentar um documento oficial com foto. Quem teve dengue, zika ou Febre chikungunya, deve aguardar um mês após a cura dos sintomas.

O Hemonorte funciona na Av. Alexandrino de Alencar, 1800, Tirol, (próximo ao Parque das Dunas/Bosque dos Namorados) – de segunda a sábado, das 7h às 18h e conta com uma unidade fixa de coleta de sangue na Zona Norte, que está localizada na Biblioteca Américo de Oliveira (Av. Itapetinga,1430, Conjunto Santarém), que funciona de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17h e sábado das 7h30 às 12h.

Assessoria de Comunicação Hemonorte: 3232-6724 

Em evento da Fecomércio RN, Pazzianotto e Rogério Marinho defendem legislação trabalhista menos engessada

Mudanças na legislação, que é de 1943, estão em tramitação no Congresso Nacional e têm como foco relacionamento mais flexível entre as partes

“A modernização da legislação trabalhista é essencial para o Brasil poder competir com economias que possuem normas mais flexíveis, ou que até mesmo não possuem normas. O mais prejudicado pela legislação atual é o empresário. E o empresário não pode ser visto como um vilão, já que gerar emprego além de ser uma grande responsabilidade no desenvolvimento de um país, é muito caro”. Esta foi uma das declarações dadas pelo ex-ministro do Trabalho, Almir Pazzianotto, durante o Brasil em Foco especial, projeto da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN que tratou sobre a reforma proposta pelo Governo Federal.

Esta edição do projeto foi realizada em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e aconteceu na manhã desta segunda-feira, 20, no Hotel Holliday Inn, em Natal. Contou também com a presença, como palestrante, do relator da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados, Rogério Marinho (PSDB).

Ultimamente, este é um dos assuntos mais comentados em todo o país, já que pouco dias antes de encerrar 2016, o Governo Federal apresentou projeto que prevê mudanças para a legislação trabalhista do país, datada de 1940. Na visão do Executivo Federal, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) precisa ser atualizada por não conseguir atender todos os setores da economia, como também, por ter brechas que geram interpretações divergentes e estimulam disputas judiciais.

Para se ter uma ideia, só no ano passado, as ações trabalhistas movimentaram cerca de R$ 145 bilhões em indenizações pagas pelos empresários aos trabalhadores. São 4 milhões de novas ações trabalhistas por ano. “Em muitos casos são trabalhadores que foram demitidos sem justa causa, que receberam todos os seus direitos, tiveram suas rescisões homologadas, mas que mesmo assim entram com uma ação judicial. Isso gera uma insegurança jurídica muito grande ao investidor. Precisamos que o acordado prevaleça sobre o legislado. Que o recibo de quitação que o trabalhador tem em mãos após a rescisão, tenha validade”, afirmou Pazzianotto.

E ele vai além: “O ideal seria que a Consolidação das Leis do Trabalho fosse revogada. Ela nunca passou por uma mudança significativa. Desde sua criação, tivemos três fenômenos importantes, que foram a politização, globalização e o avanço da tecnologia da informação, que mudaram completamente a mentalidades das pessoas de uma forma geral, e que a lei não acompanhou”.

Para o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, “somente com a reforma trabalhista poderemos ter o suporte necessário para a garantia da abertura e da manutenção de vagas de trabalho. Tenho certeza de que há hoje uma consciência muito consolidada de um conceito óbvio: sem trabalho, não há direitos trabalhistas. Para que um cidadão passe a ser um trabalhador, no conceito da palavra que estamos abordando, é preciso que uma empresa tenha condições de contratá-lo e, sobretudo, de garantir o cumprimento de seus direitos”.

Entre as mudanças propostas estão a flexibilização da jornada de trabalho, que passará a ser negociável entre patrões e empregados, desde que o limite máximo de 220 horas mensais e 12 horas diárias seja respeitado. Na reforma, há a possibilidade de divisão das férias em até três períodos, com pagamento proporcional aos respectivos períodos.

Os contratos temporários deverão passar dos atuais 90 dias para 120, prorrogáveis por igual período. Também pode ser negociável o intervalo entre jornadas (limite mínimo de 30 minutos); extensão de acordo coletivo após a expiração; entrada no Programa de Seguro-Emprego; plano de cargos e salários; banco de horas, garantido o acréscimo de 50% na hora extra; remuneração por produtividade; trabalho remoto; e registro de ponto.

“Ou melhoramos a situação da recepção do emprego no país, ou não vamos sair da crise. Com a reforma, vamos conseguir promover mais segurança jurídica para o investidor, para o empreendedor, que é quem gera empregos no país. E só vamos conseguir isso fazendo esta reforma, estabelecendo parâmetros para que a justiça não tenha várias interpretações”, explicou o deputado federal Rogério Marinho.

No projeto proposto pelo Governo Federal, não podem ser negociados o FGTS; 13º salário; seguro-desemprego e salário-família (benefícios previdenciários); remuneração da hora de 50% acima da hora normal; licença-maternidade de 120 dias; aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de 30 dias e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

“Também é preciso regulamentar as novas formas de trabalho, como o trabalho remoto e novos serviços como o Uber, por exemplo. Da forma que está, há uma enorme informalidade, e isso é muito prejudicial. A necessidade de uma jornada de trabalho de oito horas, estabelecida em 1943, é muito diferente das necessidades de hoje”, explicou o deputado federal Rogério Marinho.

Participaram ainda do Brasil em Foco, membros da Diretoria do Sistema Fecomércio RN; presidentes de Sindicatos filiados à Fecomércio RN; o presidente Fecomércio Sergipe, 3º vice-presidente da CNC e deputado federal, Laércio Oliveira; o chefe da Assessoria Legislativa da CNC, Roberto Velloso; o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves; o presidente da Câmara Municipal de Natal, Raniere Barbosa; o secretário de Desenvolvimento Econômico do RN, Flávio Azevedo, representando o governador Robinson Faria; o desembargador do Trabalho, Bento Herculano, representando a presidente do TRT, desembargadora Maria Auxiliadora Rodrigues; presidentes de entidades parceiras da Fecomércio RN, como Faern, Fiern, Sebrae, FCDL, Fetronor, CDL Natal, Associação Comercial; além de empresários.

Brasil em Foco

O Projeto Brasil em Foco é promovido, há mais de dez anos, pelo Sistema Fecomércio RN, e periodicamente, reúne especialistas de renome nacional para abordar temas de relevância. Já passaram pelo Brasil em Foco nomes como o então vice-presidente da República, José de Alencar; o ex-ministro da Fazenda e atual consultor, Mailson da Nóbrega; o à época candidato à Presidência da República, José Serra; o jornalista econômico Carlos Alberto Sardemberg; o economista e ex-diretor do Banco Central, Carlos Thadeu de Freitas; o ex-ministro da Fazenda, Gustavo Krause, entre outros.

Mais fotos do evento no http://flickr.com/fecomerciorn.

Diminuem em mais de 90% o número de notificações das arboviroses no RN

         O número de casos notificados das doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti – dengue, febre chikungunya e zika vírus – vem sofrendo importante redução em todo o Rio Grande do Norte. O último boletim das arboviroses divulgado pela Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) aponta os registros de notificações até a semana epidemiológica número 08, terminada em 25 de fevereiro.

         De acordo com Maria Lima, subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, “o que pode estar ocorrendo é a redução no número de hospedeiros susceptíveis; notificações que não foram inseridas no sistema, em virtude da mudança de gestores nas secretarias municipais de saúde e conseqüente alteração no quadro de digitadores, além do investimento na qualificação do trabalho de campo dos agentes de endemias em vários municípios do Estado. A Sesap também vem intensificando as ações para um controle vetorial mais eficaz, uma vigilância e uma assistência mais qualificada para a identificação e atendimento dos casos de forma oportuna”, explicou.

Dengue

         No Rio Grande do Norte foram notificados 579 casos suspeitos de dengue em 2017, representando uma incidência acumulada de 16,82/100.000 hab. Houve uma redução equivalente a 97,50% no percentual de casos notificados quando comparado ao mesmo período de 2016, quando foram notificados 23.116 casos suspeitos e incidência de 671,55/100.000 hab.

         Também observa-se um baixo percentual de casos já confirmados em 2017, apenas 6,74%. Dos 579 casos notificados em 2017, foram confirmados 39 (6,74%) casos, sendo 35 para dengue, 4 como dengue com sinais de alarme. Em 2016, no mesmo período, haviam sido confirmados 5.071 (21,94%), para dengue foram 5.044, dengue com sinais de alarme foram 22 e como dengue grave foram 5 casos

         Até o momento, no ano de 2017, nenhum óbito foi confirmado, tendo como causa dengue grave.

Febre de chikungunya

         Em 2017 foram notificados como casos suspeitos, um total de 169 casos, verificando se uma redução equivalente a 96,10 no percentual de casos suspeitos em comparação com o ano de 2016, quando foram notificados 4.332 casos suspeitos.

         No que se refere aos casos que evoluíram para óbito por chikungunya, em 2017 até o momento nenhum óbito foi confirmado tendo como causa a febre de chikungunya. No ano 2016, foram confirmados 36 óbitos, distribuídos em 10 municípios do Estado, sendo: 21 em Natal, 04 em São Gonçalo do Amarante, 02 em João Câmara, 02 em Mossoró, 02 em Currais Novos, 01 em São Rafael, 01 em Guamaré, 01 em Macaíba, 01 em Parnamirim e 01 em Jardim do Seridó.

Zika vírus

         Em 2017 foram notificados 21 casos suspeitos de zika vírus, apresentando uma redução equivalente a 98,96 no percentual de casos notificados em comparação ao ano anterior que registrou 2.010 casos suspeitos.

         Dos casos notificados, foram confirmados 02 em 2017 e 16 casos em 2016. Em relação aos casos que evoluíram para óbito no ano de 2017, nenhum óbito foi confirmado, tendo como causa o zika vírus.

Hospital Santa Catarina realiza primeira cirurgia de retina em bebês

A rede estadual de saúde pública do Rio Grande do Norte passa a oferecer cirurgia de retinopatia da prematuridade

“Com grande alegria que informamos aos norte-rio-grandenses que o Hospital Santa Catarina já está realizando cirurgias de retinopatia da prematuridade em crianças com até 72 horas de vida. Na manhã desta quarta-feira (15) fizemos o primeiro procedimento em uma criança com dias de nascida que apresentava essa doença agressiva que acomete os bebês prematuros e que se não for tratada a tempo pode levar a cegueira total”, comemora a diretora geral do Hospital Dr. José Pedro Bezerra Maria José de Pontes.

A cirurgia que foi coordenada pelo médico neo oftalmologista João Phillipe Melo só foi possível devido ao fotocoagulador a laser, equipamento adquirido recentemente pela Secretaria de Estado da Saúde Pública para  o Hospital Santa Catarina, localizado na Zona Norte de Natal.

Para o médico João Phillipe Melo é um momento de festa, pois há muito que vinham batalhando por esse equipamento para realizar a cirurgia no próprio hospital, que registra uma grande demanda de bebês com o problema que pode causar cegueira. O procedimento será realizado toda quarta-feira, em crianças com até 72 horas de vida.

Antes da chegada do fotocoagulador, os bebês com retinopatia da prematuridade nascidos no Hospital Santa Catarina precisavam ser transportados para o Hospital Onofre Lopes a fim de se submeterem à cirurgia, o que acarretava risco de vida durante o transporte, devido à fragilidade física própria da prematuridade.

De acordo com dados do Sistema de Informações Sobre Nascidos Vivos (Sinasc), do Ministério da Saúde, no Brasil 340 mil bebês nascem precocemente ao ano, o que equivale a 931 por dia ou 40 por hora. A taxa de prematuridade é de 12,4% no País.

A doença atinge os bebês nascidos antes de 36 semanas e com peso abaixo de 1,6 kg. Trata-se do crescimento desorganizado dos vasos sanguíneos que suprem a retina e que podem sangrar, provocando o descolamento da retina e a perda da visão.

Para entrevistas:

Dr. João Phillipe Melo – Cel – 98808 – 0114

Maria José de Pontes  – Cel – 98805-7484

 CFM rebate declarações do Ministro da Saúde contra médicos brasileiros

 

O Conselho Federal de Medicina (CFM) rebateu nesta quarta-feira (15) as declarações do ministro da Saúde, Ricardo Barros, que, em discurso na Câmara Municipal de Curitiba (PR), criticou a forma de atuação dos médicos brasileiros.

Em nota divulgada à imprensa, o CFM afirma que essa postura revela desconhecimento da dedicação dos médicos brasileiros na assistência à população no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e ignora os esforços dispendidos por estes profissionais, principalmente nos serviços de urgência e emergência.

O CFM ainda enfatiza que “o compromisso dos médicos com a saúde pública é reconhecido em pesquisa recente do Datafolha que coloca o médico como o profissional de maior confiança e credibilidade entre os brasileiros”.

LEIA TAMBÉM: Levantamento mostra o médico como profissional com maior credibilidade e confiança junto aos brasileiros

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA À SOCIEDADE:
Repúdio à declaração do ministro Ricardo Barros
O Conselho Federal de Medicina (CFM) repudia e lamenta a declaração atribuída ao Ministro da Saúde, Ricardo Barros, publicada nesta quarta-feira (15), na qual desqualifica o trabalho realizado pelos médicos brasileiros.

Trata-se de manifestação impertinente, que mostra desconhecimento da dedicação dos médicos brasileiros na assistência à população no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), nos diferentes níveis de atenção (baixa, média e alta complexidade), muitas vezes sem contar com adequadas condições de atendimento nos serviços públicos.

Ao afirmar que o médico brasileiro não demonstra disposição para o trabalho, o Ministro da Saúde ignora os esforços dispendidos por estes profissionais, principalmente nos serviços de urgência e emergência.

O compromisso dos médicos com a saúde pública é reconhecido em pesquisa recente do Datafolha que coloca o médico como o profissional de maior confiança e credibilidade entre os brasileiros.

Como a citada pesquisa revela, a população sabe que, entre outros pontos, as faltas de infraestrutura nos hospitais e nos postos de saúde, bem como de uma boa gestão, impedem a obtenção de melhores resultados.

Cabe ao Ministro Ricardo Barros a responsabilidade pela gestão da saúde pública como elemento fundamental aos direitos humanos, que não estão subordinados às leis de mercado e que exigem disponibilidade de meios ordinários imprescindíveis ao Princípio Constitucional do Mínimo Existencial.

TJRN e Governo do Estado lançam projeto medida protetiva eletrônica

 
 
Iniciativa vai dar mais agilidade à concessão de medida em favor de
mulheres ameaças pela violência doméstica e familiar

 

Nesta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, o Tribunal de Justiça do RN e o Governo do Estado lançam na Câmara Criminal do TJRN o projeto “Medida Protetiva Eletrônica”. A iniciativa possibilita o envio eletrônico de denúncias pelas delegacias especializadas para os Juizados da Violência Doméstica, o que agiliza a concessão deste tipo de medida para as vítimas, afastando o agressor da esposa, namorada ou companheira. O evento começa às 15h, com a presença do presidente do TJRN, Expedito Ferreira e do governador do Estado, Robinson Faria.

O lançamento do projeto é um dos pontos altos, no Rio Grande do Norte, da sétima edição da Semana Nacional Justiça pela Paz em Casa, promovida pela Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (CE-Mulher) do TJRN.

O projeto “Medida Protetiva Eletrônica” funciona de forma piloto na comarca de Parnamirim e será expandido por meio do convênio entre TJRN e Governo do Estado. Com o sistema eletrônico, a denúncia contra o agressor chegará mais rápido ao magistrado, que irá decidir sobre a questão.

 

Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do RN
Praça 7 de Setembro, S/N – Natal/RN, 59025-300 | (84) 3616-6392

Paralisação no Hospital Santa Catarina prossegue e pode se estender a outros hospitais

 

Os ténicos de radiologia da saúde estadual farão uma assembleia nesta terça-feira (07), às 09h, no Auditório do Sindsaúde. O principal tema é a falta do dosímetro, equipamento de proteção individual que mede a radiação e que não vem sendo substituído há vários meses. No Hospital Santa Catarina, o equipamento não é trocado há seis meses, o que motiva a paralisação do setor, iniciada no dia 02. Nesta segunda, apenas exames de vítimas de arma de fogo ou armas brancas estão sendo realizados. Em outros hospitais, técnicos discutem tomar a mesma atitude.

Após duas reuniões na semana passada com o Sindsaúde e os técnicos do Santa Catarina, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) não apresentou um prazo para repôr o equipamento. As informações são de que a empresa que fornece o equipamento está há quase um ano sem receber e há entraves legais para uma nova seleção e contrato. 

A assembleia irá discutir ainda outros pontos e informes sobre a reforma da Previdência, que ameaça as aposentadorias especiais, como a que os técnicos de radiologia têm direito pelo risco à saúde da profissão.

SERVIÇO

Assembleia dos técnicos de radiologia do estado
Terça, 07 de março, 09h
Auditório do Sindsaúde-RN (Av. Rio Branco, 874 – Cd. Alta)

Contato:
Simone Dutra (99924.1811)