Comissão Especial da PEC dos Jornalistas é instalada na Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados instalou nesta quarta-feira (26/05), a Comissão Especial encarregada de emitir parecer sobre a Proposta de Emenda Constitucional 386/09, a PEC dos Jornalistas. O prazo para emendas à PEC está aberto a partir desta quinta-feira. A expectativa é de que o parecer sobre a proposta seja apresentado no máximo até o dia 24 de junho.

A PEC 386/09, de autoria do deputado Paulo Pimenta (PT/RS), teve sua admissibilidade aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara em novembro de 2009. Desde este período a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, integrada por deputados e senadores de diversas siglas, esforça-se para acelerar a tramitação da matéria. No início de maio, em contato com o autor da PEC e com o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB/SP), comprometeu-se em acelerar a instalação da Comissão Especial.

Na reunião de instalação ocorrida na tarde desta quarta-feira, no plenário 14 da Câmara, foram definidos o presidente e os três vices da Comissão Especial, deputados Vic Pires (DEM/PA), Rebecca Garcia (PP/AM), Francisco Praciano (PT/AM) e Coubert Martins (PMDB/BA), respectivamente, como também o relator da matéria, o deputado Hugo Leal (PSC/RJ). Embora o relator tenha o prazo de até 40 sessões para emitir parecer sobre a matéria, um acordo de lideranças estabeleceu o prazo de 10 sessões para que isto ocorra. O relator pretende fazê-lo até o dia 24 de junho.

Com o prazo de emendas à PEC já aberto, cada parlamentar que desejar apresentar alguma proposta de alteração no texto original precisará do apoio de pelo menos 171 deputados. A Comissão Especial tem nova reunião agendada para o dia 1º de junho (próxima terça-feira), para traçar um plano de trabalho e aprovar requerimentos de audiências públicas sobre a exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo.

Anúncios

CONHEÇA AS QUATRO UTILIDADES QUE ESTÃO ESCONDIDAS EM SEU CELULAR.

Emergência I
O número universal de emergência para celular é 112
Se você estiver fora da área de cobertura de sua operadora e tiver alguma emergência, disque 112 e o celular irá procurar conexão com qualquer operadora possível para enviar o número de emergência para você, e o mais interessante é que o número 112 pode ser digitado mesmo se o teclado estiver travado. Experimente!

Emergência II
Você já trancou seu carro com a chave dentro?
Seu carro abre com controle remoto? Bom motivo para ter um celular.
Se você trancar seu carro com a chave dentro e a chave reserva estiver em sua casa, ligue pelo seu celular, para o celular de alguém que esteja lá. Segure seu celular cerca de 30cm próximo à porta do seu carro e peça que a pessoa acione o controle da chave reserva, segurando o controle perto do celular dela. Isso irá destrancar seu carro, evitando de alguém ter que ir até onde você esteja, ou tendo que chamar socorro. Distância não é impedimento. Você pode estar a milhares de quilômetros de casa, e ainda assim terá seu carro destrancado.

Emergência III *3370#
Vamos imaginar que a bateria do seu celular esteja fraca. Para ativar, pressione as teclas: *3370#
Seu celular irá acionar a reserva e você terá de volta 50% de sua bateria. Essa reserva será recarregada na próxima vez que você carregar a bateria.

Emergência IV *#06#
Para conhecer o número de série do seu celular, pressione os seguintes dígitos: *#06#
Um código de 15 dígitos aparecerá. Este número é único. Anote e guarde em algum lugar seguro. Se seu celular for roubado, ligue para sua operadora e dê esse código. Assim eles conseguirão bloquear seu celular e o ladrão não conseguirá usá-lo de forma alguma. Talvez você fique sem o seu celular, mas pelo menos saberá que ninguém mais poderá usá-lo. Se todos fizerem isso, não haverá mais roubos de celular.

Jornalistas querem derrubada de veto à exigência do diploma no serviço público no RS

Nesta terça-feira (18/05) a Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul aprecia o veto da governadora Yeda Crusius (PSDB) à obrigatoriedade do diploma em Jornalismo para o exercício da profissão no serviço público estadual. O projeto de lei vetado pela governadora foi aprovado em março pelos deputados gaúchos por unanimidade. A sessão de apreciação do veto será acompanhada por integrantes da campanha em defesa do diploma.

A mobilização pela derrubada do veto da governadora ao projeto 236/09, que exige a formação superior para o exercício da profissão no serviço público, foi aprovada no 34º Congresso Estadual dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, realizado em Novo Hamburgo nos dias 14 e 15 de maio. Logo após foi desencadeada uma campanha de envio de mensagens de sensibilização aos parlamentares gaúchos, lembrando que a formação superior específica para o exercício da profissão é um instrumento para defender a qualidade, a democracia e a ética no Jornalismo e que, por isso, é uma exigência de toda a sociedade brasileira.

Liderados pelo Sindicato da categoria, pela FENAJ e por entidades integrantes da campanha em defesa do diploma, Jornalistas, professores, estudantes de Jornalismo e apoiadores do movimento acompanharão a sessão da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul que apreciará o veto nesta terça-feira.

Veja, a seguir, a íntegra da Carta de Novo Hamburgo.

Carta de Novo Hamburgo
Os jornalistas gaúchos, reunidos em Novo Hamburgo, nos dias 14 e 15 de maio, durante a realização do 34.º Congresso Estadual dos Jornalistas, reafirmam sua posição pela garantia da formação em curso superior para o exercício da profissão. Durante o evento, jornalistas, professores, estudantes e painelistas manifestaram a confiança de que a luta pela retomada da exigência do diploma passa pelos poderes legislativo e executivo. Entendem que as classes conservadoras se aliaram ao Judiciário, com o argumento de que a manutenção do diploma fere a liberdade de expressão. Trata-se de uma avaliação retrógrada porque, passado um ano da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), nada mudou nas redações da grande mídia. Ou seja, foi uma falácia do ministro Gilmar Mendes, pois a sociedade continua sem o espaço propalado.

Os profissionais do Rio Grande do Sul acreditam que as mudanças estão nas universidades, onde professores e estudantes se empenham em qualificar o ensino. Catedráticos presentes durante o evento reafirmaram o compromisso de garantir que a educação continuará sendo o caminho para a qualificação da informação, prevalecendo as questões técnicas e éticas da profissão. Os congressistas reafirmaram que a luta contra a extinção do diploma não é apenas corporativa, mas visa proteger a sociedade. Muitos agentes sociais ainda desconhecem a decisão do STF e podem ser chamados a se mobilizar a favor da formação acadêmica.

Por último, os jornalistas reunidos em Novo Hamburgo reivindicam a celeridade na aprovação da PECS dos deputados Paulo Pimenta e do senador Antônio Carlos Valadares relativas ao diploma de jornalista em tramitação no Congresso Nacional. E também a apreciação da questão de ordem apresentada pelo deputado Ibsen Pinheiro no Senado. Ao mesmo tempo, solicitam que os deputados gaúchos derrubem o veto da governadora ao projeto 236-09, que exige a formação superior para o exercício da profissão no serviço público, que foi aprovado por unanimidade no Legislativo.

Durante o evento, foram aprovadas as seguintes teses, que serão encaminhadas à plenária do 34º Congresso Nacional dos Jornalistas, que será realizado de 18 a 22 de agosto em Porto Alegre:

– A mídia contribuindo para uma nação igualitária e o exercício da desconstrução do racismo nos meios de comunicação e no meio sindical.

– Mulheres jornalistas lutam contra a violência de gênero, imagem estereotipada e pela democratização na comunicação.

– Jornalista, uma categoria específica, pertencente à classe trabalhadora.

– Os profissionais da imagem e o diploma de jornalista.

Novo Hamburgo, 15 de maio de 2010

Comissão que analisará PEC dos Jornalistas deve ser instalada nesta semana

A Comissão Especial que vai proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição 386/09, conhecida como a PEC dos Jornalistas poderá ser instalada já nesta semana na Câmara dos Deputados. Após novas indicações feitas pelo PV e pelo DEM, o PSDB é o único partido que ainda não fez nenhuma das indicações a que tem direito. A FENAJ incentiva os apoiadores da campanha em defesa do diploma a encaminharem mensagens ao líder do partido na Câmara.

No dia 5 de maio, após contato com o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, e com o autor da PEC 386/09, deputado Paulo Pimenta (PT/RS), o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB/SP), determinou à Secretaria Geral da Mesa Diretora da Casa, que solicitasse aos partidos que façam as indicações a que têm direito e que instalasse a Comissão. Como os partidos e blocos já fizeram a maioria das indicações, a Comissão Especial pode ser instalada a qualquer momento.

Segundo o deputado Paulo Pimenta, a instalação da Comissão Especial deve ocorrer nesta terça ou quarta-feira. “A instalação vai acontecer, qualquer que seja a composição”, diz, relembrando o compromisso do presidente da Câmara neste sentido.

Na atualização das indicações no site da Câmara dos Deputados do dia 13 de maio, já constavam a indicação dos membros titular e suplente do PV, deputados José Paulo Tóffano (PV/SP) e Antônio Roberto (PV/MG), respectivamente, e do segundo membro titular do DEM, o deputado Luiz Carlos Setim (DEM/PR). Resta, para completar os 18 membros titulares da Comissão, uma indicação do bloco liderado pelo PMDB, e duas indicações do bloco PSDB, DEM e PPS.

Para agilizar os trabalhos de instalação da Comissão Especial com representação de todos os partidos, a FENAJ está orientando os apoiadores da campanha em defesa do diploma a encaminharem mensagem ao líder do PSDB na Câmara dos Deputados, João Almeida (BA).
http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=3063

O PODER DO CRACHÁ

Um oficial do DEA (Drug Enforcement Administration) vai a uma fazenda, no
Texas e diz ao dono, um velho fazendeiro:
– “Preciso inspecionar sua fazenda por plantação ilegal de maconha!”
O fazendeiro diz:
– “Ok, mas não vá naquele campo ali.” E aponta para uma certa área.
O oficial ‘puto da vida’ diz indignado:
– ” O senhor sabe que tenho o poder do governo federal comigo?” e tira do
bolso um crachá mostrando ao fazendeiro:
– “Este crachá me dá a autoridade de ir onde quero….e entrar em
qualquer propriedade. Não preciso pedir ou responder a nenhuma pergunta.
Está claro? Me fiz entender?”
O fazendeiro todo educado pede desculpas e volta para o que estava
fazendo.
Poucos minutos depois o fazendeiro ouve uma gritaria e vê o oficial do
governo federal correndo para salvar sua própria vida perseguido pelo
‘Santa Gertrudes’, o maior touro da fazenda.
A cada passo o touro vai chegando mais perto do oficial, que parece que
será chifrado antes de conseguir alcançar um lugar seguro. O oficial está
apavorado. O fazendeiro larga suas ferramentas, corre para a cerca e
grita com todas as forças de seus pulmões:
– “Seu Crachá, mostra o seu CRACHÁ para ele.”

SE TODOS OS ARROGANTES FOSSEM PUNIDOS ASSIM, EXISTIRIA MENOS DELES NO
MUNDO!

O sonho acabou.

Por:Magnus Nascimento
Assisti as copas de 78, 82, 86, 90, 94, 98, 2002 e 2006. A de 78 eu tenho apenas uma vaga lembrança, ainda era muito menino na época. A de 82 quem não se lembra daquela seleção? Zico, Sócrates, Júnior e Cia. Era pra mim a primeira vez de ver o Brasil campeão, mas não rolou. O Brasil perdeu pra Itália 3 a 2, mas tudo bem o sonho continuava, tinha a copa de 86 e Zico também vai esta lá. Vamos nessa Brasil! E ai, chegou á França e aquele pênalti quem bate? Zico. Eu disse dentro de mim é rede, mas Zico perde. O sonho de ver o Brasil campeão também, mas como diz que o brasileiro não desiste nunca vamos torcer pro Brasil na copa de 90. E o Brasil chega a alguns jogos com o calção branco, mas isso não tem nada haver, vai dar certo. Mas o sonho mais uma vez adiado. Finalmente chega 94 e com ela o baixinho Romário, o cara tava fazendo e acontecendo no barça não deu outra, ele e Bebeto mataram a pau sem falar no grande Taffarel, a taça levantada pelo Dunga e um sonho realizado, beijei até a tela da televisão de tanta alegria, chega á copa de 98 e se já tinha sonhado em 94 e deu certo imagine a expectativa pra de 98, mas tinha uma tal de França com um jogador chamado Zidane, o cara era demais e ai mais uma decepção,mas tudo bem, vamos pra frente não da pra ganhar todas.Chegamos a 2002 e nela Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo, Ronaldo e Cia vamos botar pra quebrar e Ronaldo no momento de recuperação espetacular foi o artilheiro daquela copa e mais uma vez o caneco veio pra nossa amada nação. E ai chegou á copa de 2006 e com ela a França eu torci pra pegar a França, eu dizia dentro de mim, dessa vez a gente da uma pisa nela, mas lá estava Zidane, deu até um chapéu em Ronaldo e segundo Parreira ele não precisava de marcação individual. E o resultado, mais uma derrota e agora chegamos a de 2010. E nela Dunga e seus comandados. Perdi a vontade de sonhar, se ela perder ou ganhar não vai me dar nem tristeza nem alegria, porque perdi o sonho pela seleção e isso eu agradeço ao técnico Dunga. O sonho acabou antes de começa a copa.