‘Achava impossível mudar’, diz ex-travesti que hoje é pastor em MT

Joide e Édna estão casados há 14 anos. (Foto: Pollyana Araújo/ G1)

Joide e Édna estão casados há 14 anos e tem Pedro, de um ano e 11 meses. (Foto: Pollyana Araújo/ G1)

Acompanhado da mulher e do filho de 1 ano, o pastor evangélico Joide Miranda, de 47 anos, que até os 26 era travesti, afirma que é possível deixar de ser homossexual. A partir de sua experiência pessoal, ele decidiu ajudar quem quer voltar a ser hétero, por meio da Associação Brasileira de ex-Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABexLGBTTs). “A homossexualidade é um vício que, muitas vezes, vem desde a infância. Achava que era impossível mudar, mas é uma conduta que pode ser desaprendida”, diz o pastor.

O trabalho da associação vai contra a posição do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que orienta profissionais da área a não colaborar com serviços que ofereçam tratamento e cura para homossexualidade e não reforçem preconceitos sociais já existentes em relação ao tema.

Joide retirou as próteses de silicone dos seios e dos quadris. (Foto: Arquivo pessoal)
Joide retirou silicone dos seios e dos quadris após
a conversão. (Foto: Arquivo pessoal)

Joide Miranda, que aos 14 anos assumiu a homossexualidade e agora se diz “completamente restaurado”, pontua que o trabalho que desenvolve busca a cura e a mudança a partir da espiritualidade e da experiência de vida dele, embora avalie que a psicologia seria importante nesse processo. “Aqueles que querem deixar o estado da homossexualidade dizem que me veêm como referência”, afirma o pastor, que depois da mudança retirou as próteses de silicone dos seios e o silicone industrializado dos quadris.

Ele explica que a entidade, que foi regulamentada em novembro do ano passado, dá suporte emocional a pessoas de vários lugares, inclusive do Japão, Espanha e França. Até hoje, segundo ele, mais de 500 homossexuais o procuraram. O pastor diz que os maiores motivos alegados para querer deixar a homossexualidade são a solidão e a insatisfação. “Fazemos acompanhamento por telefone, mas pretendemos abrir uma casa de apoio, uma espécie de albergue, para podermos auxiliá-los melhor”, conta o pastor, que mora em Cuiabá com a família.

Um dos pilares da associação, segundo ele, é a estruturação familiar. Para o pastor, a desordem familiar tem grande parcela de responsabilidade nos casos de homossexualidade. Ele diz alertar os pais durante as palestras que ministra para que se atentem sobre o comportamento dos filhos, de modo que atuem de forma preventiva. “Um dos maiores fatores que contribuem para a homossexualidade são os abusos sexuais e a ausência de limites para as crianças”, enfatiza, ao relatar que, aos 6 anos, foi abusado por um vizinho.

Joide morou em vários países, entre eles na França. (Foto: Arquivo pessoal)
Joide morou em vários países, entre eles na França
(Foto: Arquivo pessoal)

Além dos próprios homossexuais, Joide diz receber inúmeros telefonemas de mães que não concordam com a orientação sexual dos filhos. Ele diz que muitas delas pedem para conversar com a mãe dele, que, após muita insistência, conseguiu fazer com que ele fosse para a igreja. Antes disso, o ex-travesti morou em vários países, entre eles Itália e França, onde se prostituía.

Ele cita dois casos de ex-gays que teriam se tornado heterossexuais depois de receberem acompanhamento através da associação. Um deles na França, que morava com outro homem e hoje já está casado com uma mulher.

Outro é o caso de um ex-travesti do Maranhão, que colocou silicone até nos lábios e agora é missionário de uma igreja evangélica. “Quando a pessoa resolve mudar, o interior está todo bagunçado e demora algum tempo para mudar completamente, inclusive os trejeitos femininos”, explica.

Joide se casou, mas diz que casamento não pode servir de fuga. (Foto: Arquivo pessoal)
Joide se casou, mas diz que casamento não pode
servir de fuga. (Foto: Arquivo pessoal)

Casamento
No caso de Joide, a mulher Édna, que hoje o acompanha nas palestras em que dá o seu testemunho, foi quem o ajudou. “Falava para ele que não era para colocar a mão na cintura, nem cruzar as pernas como mulher”, disse. Ela, no entanto, faz questão de enfatizar que se casou com um heterossexual e que nunca duvidou da mudança do marido. “Antes achava que gay era sempre gay, mas depois que o conheci mudei esse conceito. Não me importo em falar sobre o passado dele, pois falo de alguém que não existe mais”, afirma.

Casada há 14 anos com Joide, Édna conta que os dois eram empresários e deixaram os negócios para ajudar as pessoas que pretendem deixar de ser homossexuais. “Só fazemos isso para que a nossa história possa ajudar outras pessoas”. Ela conta que no início do relacionamento enfrentou certo preconceito por parte daqueles que não acreditavam na mudança de Joide.

No entanto, os dois afirmaram que o casamento não pode servir como uma “fuga”. Antes de conhecer a mulher, o pastor disse não ter sentido atração por nenhuma outra pessoa do sexo oposto. “Tive tudo que um travesti sonha, como glamour e dinheiro, mas não era feliz. Sentia um vazio muito grande dentro de mim. Era uma vida de hipocrisia”, recorda Joide, ao se dizer realizado hoje com a mulher e o filho, que foi adotado porque Édna não conseguia engravidar.

Na visão dele, a homossexualidade está na mente e, por isso, pode ser restaurada.”Depois que fui abusado sexualmente, tive a minha heterossexualidade violada”, afirma. Ele disse ainda que, quando foi molestado pelo vizinho, teve medo de contar para a família, principalmente ao pai, que era alcoólatra.

Fonte:G1

Anúncios

Hemocentro implanta melhorias no atendimento ao doador

Será lançado em 1º de agosto no Hemocentro Dalton Cunha (Hemonorte), o Projeto de Inovação da Captação de Doadores no âmbito interno da Organização, que tem por objetivo intensificar as ações educativas e informativas na sala de espera, para esclarecer, derrubar tabus e preconceitos, melhorar o acolhimento e fortalecer o compromisso da população com relação à doação voluntária de sangue.

Segundo Rosemary Oliveira, Chefe do Departamento de Apoio Técnico, “as ações educativas sempre priorizaram o ambiente externo através de campanhas nos diversos segmentos sociais, mas existia uma lacuna no acolhimento ao público interno. Este trabalho vem inovar, educar, sensibilizar o público visitante da hemoterapia; preparar multiplicadores e formadores de opinião da doação de sangue.” falou Rosemary.

O início da programação está previsto para as 09h, com palestras educativas e interativas sobre doação de sangue, medula e órgãos, controle de qualidade do sangue, doenças sexualmente transmissíveis, Projeto Clube 25 e outras temáticas inerentes à Política Nacional de Sangue e Hemoderivados. Outras metodologias como rodas de conversa, exibição de vídeos e o Hemotur (visita guiada aos setores do fluxo do sangue) também serão adotadas.

Para a Miriam Mafra, chefe do Serviço Social do Hemonorte, “o projeto fortalece a fidelização dos doadores e a sistemática da visita in loco, além de agregar conhecimentos, reforçar ao doador a importância da doação e o significado de seu gesto para quem está precisando. No Hemotur, o usuário passa por todas as etapas do processo: da coleta à distribuição do sangue para os hospitais”, ressaltou Miriam.

O projeto de Inovação de Capacitação de Doadores é uma iniciativa do Departamento de Apoio Técnico-DAT com a Divisão de Serviço Social e o Núcleo de Qualidade do Hemocentro Dalton Cunha.

Seminário discute educação integral para a cidadania

Promover a discussão sobre a importância da educação integral na preparação da criança e do jovem para a prova mais difícil: a vida. Esse é o principal objetivo do seminário “Educação do Ser: Um enfoque holístico pedagógico”, que a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Secretaria de Estado da Educação (Seec) e a secção regional da União dos Escoteiros do Brasil realizam nos dias 16 e 17 de agosto, no Centro Universitário UNI-RN (antiga FARN). O evento comemora os cinco anos de implantação do projeto de educação complementar “Escotismo nas Escolas Estaduais”, que tem sido piloto para implantação em outros estados do país.

O encontro vai reunir educadores, gestores e profissionais de saúde em torno de discussões sobre ética, saúde, cidadania, juventude, tecnologias, diversidade e reforma da educação. A palestra de abertura será do ex-secretário de Educação de Aracaju e professor da Universidade Federal de Sergipe, Jorge Carvalho do Nascimento, autor do livro “A escola de Baden-Powell” que fala sobre o avanço do escotismo no mundo. Os demais palestrantes são a ex-secretária de Saúde de Natal e ex-adjunta do RN, Ana Tânia Lopes Sampaio, a especialista em educação holística, Maria Lucila de Noronha, a pedagoga Jaércia Maria Rodrigues de Oliveira e a secretária de Educação do Estado, Betânia Ramalho.

Segundo o coordenador de Recursos Humanos da Sesap, Carlos Pinto, o seminário pretende envolver os educadores formais e informais na discussão sobre o verdadeiro papel da educação no Século XXI, direcionando para a consciência de ética e cidadania. Ele cita o projeto “Escotismo na Escola” como referência para as discussões, já que tem um programa que vai ao encontro da necessidade de inclusão da comunidade na reconstrução da escola e nas políticas públicas de cidadania.

Escoteiros em campanhas da Sesap

Com atividades complementares ao currículo escolar, o aluno aprende e convive com atividades de escotismo que repercutem na autodisciplina e no bom rendimento escolar. Ele cita, por exemplo, a participação de alunos do projeto na campanha da Sesap contra as Hepatites Virais em que os escoteiros previnem a população quanto aos perigos da doença. “Da mesma forma que o projeto está atuando na saúde pode chegar a qualquer área, como também outros projetos de educação complementar nas áreas de esporte e música, por exemplo, podem atuar na cidadania”, diz Carlos Pinto.

O Projeto “Escotismo na Escola” em menos de um ano passou de 1.600 alunos participantes para 6 mil em 60 escolas públicas do estado, mas a pretensão de Carlos Pinto, que também é presidente da Regional Escoteira do RN, é chegar aos 10 mil até o final do ano e implantar um grupo em cada escola do Rio Grande do Norte. Implantado há cinco anos, o projeto tem se tornado piloto para implantação nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Ceará e Piauí. No Paraná, o vice-governador e secretário de Educação, Flávio Arns, está implantando o projeto a partir do que viu no Rio Grande do Norte.

Em crise, Flamengo aposta na semana livre para intensificar trabalho

O Flamengo está cada vez mais mergulhado na crise. Na tarde deste domingo, a equipe foi goleado pelo São Paulo, por 4 a 1, e completou quatro partidas sem vitórias no Campeonato Brasileiro. Além disso, a diretoria vem sendo muito criticada pela falta de reforços de peso e o elenco é considerado limitado por boa parte da crítica e da sua própria torcida. Em um cenário tão desanimador, o técnico Dorival Júnior, que assumiu o time na semana passada, e os jogadores apostam em uma semana livre de trabalho para começarem a mudar esta situação.

Fábio Borges/Vipcomm
Dorival Júnior quer aproveitar meio da semana sem jogos para intensificar as atividades na Gávea
Dorival Júnior quer aproveitar meio da semana sem jogos para intensificar as atividades na Gávea

Como o meio da semana está reservado  para a Copa Sul-Americana, competição que o Flamengo não disputa, o time só voltará a jogar no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), contra o líder Atlético-MG, no Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ), pela 14ª rodada. Esses dias sem partidas se tornaram a principal aposta do departamento de futebol.

“Apenas com trabalho é que conseguimos dar padrão ou mudar o padrão de jogo de uma equipe. Até este momento isso não foi possível, pois o único dia que tivemos de treino entre o jogo contra a Portuguesa e a partida contra o São Paulo foi no sábado. Agora teremos um tempo um pouco maior e temos que aproveitá-lo para trabalhar da melhor maneira possível. Temos que mudar alguns aspectos, pois o momento é de instabilidade. Mas assumi o Flamengo sabendo o que tinha pela frente e sei que esse quadro pode ser modificado”, afirmou Dorival. O treinador também insistiu em passar otimismo aos jogadores. “Nosso horizonte é a recuperação da confiança e do equilíbrio de uma equipe que está se sentindo abatida pelo momento vivido e pelas circunstâncias desse Campeonato Brasileiro. Agora temos que ter hombridade e dignidade de trabalharmos com mais intensidade, porque coisas boas podem vir a acontecer. Não temos motivo para desistir”, disse o comandante rubro-negro.

Os jogadores também reconhecem a necessidade de trabalhar bem ao longo da semana. “Nós vacilamos contra o São Paulo e acabamos pagando muito caro por isto. Agora teremos uma semana inteira pela frente e temos que aproveitar a situação, pois assim o Dorival terá condições de conhecer ainda mais o grupo. Teremos um jogo muito complicado pela frente contra o Atlético Mineiro e precisamos logo da reação”, analisou o atacante Vágner Love.

Uma prova de que o Flamengo realmente vai apostar no trabalho para reagir é que a comissão técnica definiu que a terça-feira será de treinos em período integral. Para o jogo contra o Galo ainda não se sabe se o volante Aírton terá condições de jogo. O jogador deixou a partida contra o São Paulo reclamando de dores na coxa direita e será submetido a exames mais detalhados.

* Fonte: gazetaesportiva.net

Mossoró terá Semana de Aleitamento Materno

A II Unidade Regional de Saúde Pública (Ursap) está apoiando a APAMIM (Associação de Assistência e Proteção Materna e Infância) na realização das atividades em torno da XI Semana Mundial de Aleitamento Materno, que acontece de 1º a 7 de agosto, em Mossoró, com o tema “Entendendo o passado, planejando o futuro”.

A Semana Mundial da Amamentação – SMAM, celebrada anualmente de 1º a 7 de agosto, foi idealizada pela WABA (World Alliance for Breastfeeding Action – Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno) e é comemorada desde 1992, em mais de 150 países, com o propósito de promover, proteger e apoiar o aleitamento materno.

Em Mossoró, após a solenidade de abertura, dia 1º, haverá apresentação, na Sede da APAMIM, em Mossoró, a partir das 9 horas, do espetáculo “Mamãe eu quero mamar”, pela Companhia Risos e Improviso e Dínamos Cia. Do Teatro e, a partir das 10 horas, Blitz da amamentação em diversos pontos da cidade e hospitais, com distribuição de panfletos. Nos dias 2, 3 e 4 serão realizadas palestras e treinamentos na Sede da Apamim com os temas “Iniciativa Hospital Amigo da Criança” e “Manejo Clínico da Lactação”

Na terça-feira, dia 7, das 14h às 17h, no auditório da UnP, em Mossoró, acontece o III Encontro de Gestantes do Parto Feliz, com palestra sobre os benefícios da amamentação e lançamento do II exemplar da cartilha Parto Feliz.

“Entendendo o passado e planejando o futuro”

Antigamente todas as mães amamentavam seus filhos. Era um comportamento natural, pois não havia a tecnologia das mamadeiras e leites artificiais. Quando a mãe não conseguia amamentar sempre havia as “amas de leite”, que eram escravas, madrinhas ou pessoas amigas que ofereciam seu próprio leite para que os bebês pudessem sobreviver.

Na década de 60-70, com a emancipação feminina e o desenvolvimento da tecnologia da alimentação infantil e com o excesso de propaganda dos leites artificiais, as mães foram deixando de amamentar seus filhos. Houve, por isso, muitas mortes, desnutrição e aumento das internações e doenças infantis.

SECRETÁRIO DE SAÚDE PARTICIPA DE SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA

O Secretário de Estado da Saúde Pública, Isaú Gerino Vilela participa no período de 29 de julho a 01 de agosto do VI Seminário Internacional de Atenção Básica, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Com o tema “Universalização com Qualidade”, o seminário pretende contemplar o intercâmbio de experiências e boas práticas do modelo de Atenção Básica desenvolvido no Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil e em outros países, com debates entre gestores públicos, profissionais de saúde e acadêmicos.

A programação do Seminário será dividida em 04 eixos prioritários de discussão, delineados pela Política do Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica “Saúde Mais Perto de Você – Acesso e Qualidade”:

-Estratégias para ampliação do acesso, da qualidade das práticas de saúde e da satisfação dos usuários;

-Qualidade e inovação na gestão da Atenção Básica e em Redes de Atenção à Saúde, fortalecendo os processos de Monitoramento e Avaliação, Apoio Institucional e Educação Permanente;

-Promoção da transparência dos processos de gestão, participação e controle social e a responsabilidade sanitária dos trabalhadores e gestores de saúde;

-Configuração de Redes de Atenção, tendo a Atenção Básica como Coordenadora do Cuidado, ampliando a eficiência e efetividade dos Sistemas de Saúde.

 

Seminário discute organização da saúde

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems/RN) e Conselho Estadual de Saúde promovem, nos dias 02 e 03 de agosto, no hotel Praiamar em Ponta Negra, o Seminário “Organização da Saúde: pactos interfederativos e as novas normativas do SUS”. O evento tem o apoio da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde.

O objetivo do seminário é discutir pactuações, responsabilidades e implicações legais dos entes federativos à luz do Decreto 7.508/2011 e da Lei Complementar nº 141/2012. O Seminário terá como resultado uma agenda de compromissos para o RN, estabelecendo prioridades, metas e objetivos para 2012/2013.

Estarão presentes conselheiros de saúde, gestores e profissionais da saúde, profissionais da área de orçamento e finanças, e demais entidades de controle, como Ministério Público e Tribunal de Contas.

Entre os principais temas de debate estão: os instrumentos de gestão, com foco no “Contrato Organizativo de Ação Pública” que deverá ser firmado, em breve, por todos os gestores com o objetivo de definir responsabilidades nas três instâncias do SUS; as Redes Temáticas de Atenção, na perspectiva da integralidade da assistência e enfatizando as responsabilidades com o cuidado entre os entes gestores; e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas nas três esferas de governo, enfocando as penalidades e demais implicações legais em relação ao seu descumprimento.

PROGRAMAÇÃO

02.08.2012

8h – Abertura

9h – Palestra 1: O planejamento regional integrado e as responsabilidades dos entes federativos mediante o COAP

Palestrante: André Luis Bonifácio de Carvalho – Diretor do Departamento de Articulação Interfederativa do Ministério da Saúde

12h – Almoço

14h – Palestra 2 – A Lei Complementar 141/2012 e suas implicações para gestão pública da saúde

Palestrante: José Carlos da Silva – Representante da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde

03.08.2012

8h – Palestra 3: As Redes Temáticas na Perspectiva do Planejamento Regional

Palestrante: Leda Lucia Couto Vasconcelos – Diretora de Articulação das Redes de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde

10h – Palestra 4: Apoio Integrado do MS – construção de agenda de trabalho com o RN

Palestrante: André Bonifácio

10h15 – Grupo de Trabalho da Agenda do RN

10h30 – Coffee Break

12h30 – Almoço para o grupo de trabalho

14h – Grupo de trabalho da Agenda do RN

17h – Encerramento