ABORTO A LUZ DA BÍBLIA

Conceito – Interrupção da gravidez com ou sem a expulsão do feto. O aborto pode ser: provocado pela gestante ou com seu consentimento(CP art.124); provocado por terceiro com o consentimento (CP art. 126) ou não (CP art. 125) da gestante.

1.1 – Os filhos nos tempos bíblicos eram descritos como uma preciosa dádiva de Deus, um aborto era visto como um desfavor da parte de Deus:

“Eis que os filhos são herança da parte do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.” Salmos 127:3

1.2 – Jó por estar sendo afligido diz ser melhor para ele que nunca tivesse visto a luz:

“…ou, como aborto oculto, eu não teria existido, como as crianças que nunca viram a luz.” Jó 3:16

1.3 – Nos Salmos o aborto era visto como desfavor de Deus para com seus inimigos:

“Sejam como a lesma que se derrete e se vai; como o aborto de mulher, que nunca viu o sol.” Salmos 58:8

1.4 – Salomão compara um feto abortado com alguém que não usufrui da vida, indicando que os dois casos são ruins, mas o segundo é pior:

“Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, de modo que os dias da sua vida sejam muitos, porém se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele;” Eclesiastes 6: 3

1.5 – O delito do aborto causado por lesão corporal é considerado em Êxodo capítulo 21, sendo que a pena prevista, caso não houvesse a morte da mulher grávida, era de indenização:

“Se alguns homens estiverem brigando e ferirem uma mulher grávida, e por causa disso ela perder a criança mas sem maior prejuízo para a sua saúde, aquele que a feriu será obrigado a pagar o que seu marido exigir, de acordo com o que os juizes decidirem. Mas, se a mulher for ferida gravemente, o castigo será vida por vida” Êxodo 21:22, 23 – A Bíblia na linguagem de hoje.

1.6 – O embrião no útero da mãe é uma pessoa humana, por conseguinte destrui-la é uma violação das leis de Deus:

“Antes de forma-te no ventre, eu te conheci e antes de saíres da madre, eu te santifiquei. Eu te constituí profeta para as nações.” Jeremias 1:5 (Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas)

Adesivos para carros de jornalista (se ele conseguir ter um carro, claro)

Eu acredito em imprensa livre (e em duendes).

Rastreado por um chefe de reportagem chato pra cacete.

Como estou escrevendo? Bem? Muito bem?

Não sou o dono do mundo, mas tenho a carteira da Fenaj.

Meu outro carro é o de reportagem.

Redação: unidade móvel.

É velho e, pior, não tá pago.

Orgulho de ser caótico.

Velocidade controlada pelo deadline.

Não me inveje, sou jornalista.

Por Duda Rangel

Escola Técnica do SUS capacita Agentes Comunitários de Saúde

O Centro de Formação de Pessoal para os Serviços de Saúde “Dr. Manoel da Costa Souza” (Cefope), Escola Técnica do SUS, estrutura da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap), abriu, a partir desta sexta-feira (28) até 14 de outubro, as inscrições para seleção de alunos que queiram candidatar-se às vagas para o Curso de Capacitação em Agente Comunitário de Saúde (ACS).

 

O público-alvo do curso são os agentes que estão desenvolvendo suas atividades, mas não participaram e/ou não concluíram o Curso de Qualificação do Agente Comunitário de Saúde – Módulo I (400 horas), ofertado pelo Cefope em outra ocasião.

 

Os interessados deverão fazer suas inscrições pelo site www.cefope.rn.gov.br, devendo atender aos seguintes critérios: ter idade mínima de 18 anos completos na data da inscrição; ter ensino fundamental completo, comprovado com declaração ou histórico escolar; estar exercendo as atividades de ACS na Atenção Básica/Estratégia de Saúde da Família, no município onde serão oferecidas as vagas; e apresentar Declaração de Pactuação do Gestor para a participação no curso. As matrículas dos candidatos só serão efetivadas, após análise da documentação e total atendimento dos critérios definidos no Edital.

 

Ao todo serão ofertadas 240 vagas para atender aos municípios de Mossoró, Caicó, Santa Cruz, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Extremoz, Macaíba e Natal, perfazendo um total de 08 (oito) turmas. O curso terá carga horária de 400 horas, com duração de seis meses.

Sesap agiliza transferência de pacientes dos corredores do Hospital Walfredo Gurgel

O processo de transferência dos pacientes que permaneciam nos corredores do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) vem continuando com eficácia. Tanto do interior, quanto da capital, mais de 50 pessoas que esperavam por uma cirurgia eletiva ortopédica já foram encaminhadas para serviços de menor complexidade, podendo agora aguardar com mais conforto pela resolução do seu problema de saúde.

 

Na tarde da última quinta-feira (27), sete pacientes de clínica médica foram levados, pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), para o Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da Polícia), sete foram para o Hospital Médico Cirúrgico, um para o Hospital dos Pescadores, quatro para o Hospital Ruy Pereira e um para o Hospital Memorial. A partir de hoje, seis pacientes vão ser transferidos em cada turno, até que seja atingida a capacidade de 30 leitos do Walfredo Gurgel.

 

No total, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, já foi responsável pela regulação de 58 pacientes por todo o Rio Grande do Norte. Atualmente, 18 pacientes com problemas ortopédicos e outros 22 de clínica médica estão internados nos corredores. Destes últimos, 18 estão previstos seguir para o hospital da Polícia Militar ainda nesta sexta-feira (28).

“Estamos esperançosos que esta dinâmica permaneça e que outros pacientes também possam ser beneficiados com esta medida”, afirmou a diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro.

 

A transferência de pacientes que aguardavam por uma cirurgia eletiva ortopédica nas áreas de circulação do HMWG para os hospitais de seus locais de origem foi acordada e oficializada na última sexta-feira (21). Essa transferência garante tanto a realização dos procedimentos, quanto a permanência dos pacientes na mesma posição que ocupam atualmente no Sistema de Regulação (Sisreg).

 

A ação proporciona uma melhor assistência ao paciente, que ficará acomodado em um leito, em sua cidade de origem, próximo à sua família e recebendo os mesmos cuidados que os atualmente oferecidos pelas equipes de plantão do HMWG.

Sesap comemora Dia Estadual de Controle da Hanseníase

Neste domingo (30), comemora-se o Dia Estadual de Controle da Hanseníase. Para celebrar a data, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, realizou, na última terça-feira (25), um simpósio sobre a doença, com o tema: “Por uma Natal sem hanseníase”. O evento, que reuniu profissionais de Saúde e estudantes de Enfermagem, foi promovido em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte e o Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN).

 

Durante toda esta semana, a Sesap intensificou a busca pela doença, com orientação sobre seus sinais e sintomas, em todas as regionais de saúde. O RN contabiliza, desde o início de 2012 até hoje, um total de 186 casos novos de hanseníase. Segundo a técnica do Programa Estadual de Controle da Hanseníase da Sesap, Danielle Matos, “o Programa atua prioritariamente treinando médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e agentes comunitários de saúde, com o objetivo de detectar precocemente a doença, de modo a evitar sua disseminação e prevenir as incapacidades físicas”.

 

HANSENÍASE – Consiste numa doença que atinge a pele, os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, além do rosto, orelhas, olhos e nariz. O período entre a contaminação e o aparecimento dos sintomas pode variar de dois a até mais de dez anos.

 

A hanseníase é transmitida por meio das vias respiratórias, por tosse ou espirro, não sendo passada através de contatos físicos.  Os principais sintomas do agravo são: uma ou mais manchas esbranquiçadas ou avermelhadas em qualquer parte do corpo, com diminuição ou perda da sensibilidade ao calor, à dor e ao tato; caroços e inchaços no corpo; engrossamento do nervo que passa pelo cotovelo, ocasionando a perda da sensibilidade e/ou diminuição da força do 5º dedo; dor, sensação de choque e fisgadas ao longo dos nervos dos braços, mãos, pernas e pés; áreas com diminuição dos pelos e do suor.

 

A doença pode causar deformidades físicas, que podem ser evitadas por meio do diagnóstico precoce e tratamento imediato. O tratamento da hanseníase é feito nos serviços de saúde, podendo ser curada num período de 06 a 12 meses, quando feito de forma adequada.