Mensagem de Hoje

28 de Fevereiro

Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14.6

Muitas vezes o Céu parece distante e desconheci­do. Mas se aquEle que nos conduziu para junto do ca­minho é nosso guia, não precisamos ter medo de per­der o rumo. Queremos ver o suficiente para seguir os seus passos… Os que seguem a Cristo, mesmo no vale da sombra e morte, certamente alcançarão o Pai.

UM LUCRO DE QUATROCENTOS POR CENTO

J. Hudson Taylor, no seu tempo de estudante, na Inglaterra, teve muitas confirmações de Deus sobre sua cha­mada para ser missionário na China.

Conta-se que certa vez foi chamado a socorrer uma se­nhora moribunda, admirando-se de que o pedido surgisse de um católico, mas soube depois que o padre se recusara a atender ao chamado, porque o necessitado não tinha de­zoito pence para pagar adiantado.

Hudson era estudante pobre. Tudo o que tinha no mo­mento se resumia numa tigela com o suficiente para ali­mentar-se à noite e para o desjejum do dia seguinte, e uma moeda de meia coroa no bolso.

Chegou finalmente a uma habitação paupérrima. Foi conduzido ao quarto de dormir cheio de molambos, onde estava a doente.

– Você me pediu que viesse orar pela sua esposa. Ajoelhemo-nos e oremos! – disse Taylor.

Nem bem tinha começado a orar, doeu-lhe a consciên­cia por estar na presença de Deus, diante de pessoas tão necessitadas, e ele, com meia coroa no bolso. Não conse­guiu terminar a oração. Levantou-se, deu a moeda ao ve­lho e partiu.

No dia seguinte a tigela de mingau não faltou. Antes de terminá-la o carteiro bateu à porta, e, pouco depois, a pro­prietária vinha entregar-lhe um envelope. Não pôde atinar de onde viera, nem conheceu a letra. Dentro do envelope um par de luvas, e dentro de uma das luvas meio soberano.

Tivera a sua meia coroa restituída (não sabia por quem), com um lucro de 400%.

“E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galar­dão” (Mt 10.42).

 

Seitas e Religião

2)  Mormonismo — Com sua doutrina de poligamia, ensina que se um homem casar com uma jovem, e, com o consentimento desta, casar com outra, e ambas forem dele, não haverá adultério. Se vier ainda a casar com outras dez, não estará cometendo adultério, pois todas lhe pertencem, sendo justificado o seu ato.

3) Espiritismo — Com sua satânica doutrina de reencarnação, ensina que na morte a pessoa recebe uma nova identidade, e nasce em outra vida, como animal, ser humano ou até mesmo um deus.

A morte, segundo suas doutrinas, não significa o fim de uma pessoa, mas sim que sua alma, sabendo que o corpo material, o qual neste mundo lhe servia como veículo ou instrumento, já chegou ao limite de tempo de uso, abandona-o a fim de mudar de corpo.

 

A Palavra de Deus nos mostra que o dia da Salvação é agora:

 

“Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação.”

(2 Coríntios 6.2)

 

Não precisamos de outra vida ou de quaisquer supostas vidas anteriores, até porque “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hebreus 9.27).

Também está claro que quando Moisés e Elias apareceram no monte da transfiguração, ainda eram Moisés e Elias: “E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com eles” (Mateus 17.3).

O Senhor Jesus também manteve a Sua identidade depois da Sua morte e ressurreição, e Ele mesmo, não alguma reencarnação, voltará à Terra: “Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir” (Atos 1.11).

O Senhor Jesus não ensinou a reencarnação a Nicodemos, quando disse: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3.3).

Ele estava Se referindo ao fato de que Nicodemos precisava abandonar sua velha natureza e se regenerar espiritualmente, tendo uma nova vida. Os apóstolos entenderam isso e ensinaram essa verdade: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura” (2 Coríntios 5.17).

João Batista não era a reencarnação de Elias, conforme ele mesmo disse:

 

“Este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para lhe perguntarem: Quem és tu? Ele confessou e não negou; confessou: Eu não sou o Cristo. Então, lhe perguntaram: Quem és, pois? És tu Elias? Ele disse: Não sou.”

(João 1.19-21)

 

4) Testemunhas de Jeová — Grupo sectário e intransi­gente ao extremo, ensina que Jesus é a primeira criação de Deus, que era o arcanjo Miguel antes de Se tornar homem, e que só Se tornou Cristo (o Messias) no batismo; que Ele não ressuscitou corporalmente e não pode ser adorado.

Diz também ser o Espírito Santo apenas uma força ativa e nega a existência do inferno em seu sentido literal. Os santos do Antigo Testamento, segundo suas doutrinas, não irão para o Céu, para onde só irão 144 mil eleitos. Proíbe a transfusão de sangue e condena todos os outros seguidores de Jesus.

O pastor Russel, seu fundador, predisse a segunda vinda de Jesus para o ano de 1914, predição esta que, como se sabe, falhou totalmente, porém marcar datas para a volta do Senhor Jesus não é uma exclusividade das Testemunhas de Jeová.

De acordo com muitos comentaristas bíblicos, os “marcadores de data” para a segunda vinda de Cristo contribuíram para que as profecias bíblicas fossem desacreditadas por muitos.

A mania de marcar datas começou por volta do ano 500 d.C. A Igreja primitiva não marcava datas específicas, pois acreditava que Cristo poderia voltar a qualquer momento. Apesar das Escrituras Sagradas proibirem a marcação de datas, sempre havia aqueles que lançavam mão de cálculos para fazê-lo.

Os cristãos fiéis sabem que está próximo o fim dos tempos, e que a volta de Jesus é iminente, mas a marcação de datas está fora da Palavra de Deus: “Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou para sua exclusiva autoridade” (Atos 1.7).

Ex-BBB Bruna Tavares vira missionária e lidera ministério em MG

Em 2007 a jovem Bruna Tavares ficou em terceiro lugar na final do Big Brother Brasil 7 passando a ser conhecida pelo país inteiro, posando para revistas e fazendo muito sucesso ao lado do então namorado Alberto Cawboy.

Mas no ano seguinte, depois do fim do relacionamento, Bruna se voltou para a fé e aceitou o chamado de ser missionária abandonando tudo, inclusive o dinheiro que ganhou com os trabalhos que realizou depois do programa.

“Eu já frequentava igreja antes de entrar no programa, mas depois que saí foi que percebi que nada daquilo preenchia o vazio que eu tinha dentro de mim. Foi aí que eu resolvi aceitar o chamado de Deus”, conta Bruna em entrevista ao jornal Extra.

Depois de cursar teologia, ela, hoje com 28 anos, e uma amiga, Rhanúsia Borges, 36, se dedicam à pregação do evangelho em Astolfo Dutra, no interior de Minas Gerais.

Bruna e Rhanúsia vivem com outras três pessoas em uma fazenda desde de agosto passado, lá estão aprendendo a conviver com os afazeres do campo como ordenhar vaca, cuidar do gado e etc..

A jovem de hoje pouco se parece com a BBB que conquistou o vilão, menos maquiada ela sem importa mais com o interior do que com a aparência e afirma que espera em Deus um novo amor e que pretende se casar. “Sinto um carinho muito grande pelo Alberto, e sei que ele também sente por mim, mas acabamos perdendo o contato. A próxima vez que eu namorar, vai ser para casar”.

Mesmo deixando tudo para trás, Bruna diz que não se arrepende mais de ter participado do programa. “Já passei da fase de me arrepender de ter participado do ‘BBB’. O arrependimento é você se converter, como eu fiz. Hoje, só me arrependo de não ter conhecido Deus bem antes na minha vida”.DSC01775

Mensagem de Hoje

27 de Fevereiro

E foi também Jacó o seu caminho, e encontraram-no os anjos de Deus. Génesis32.1

É no caminho que Deus nos ordena a andar que encontraremos os anjos. Podemos até encontrá-los no caminho que escolhermos, mas serão como o anjo que Balaão viu. Eles terão uma espada desembainhada para barrar-nos os passos. E é melhor não afrontá-lo.

Os ajudantes amigáveis, o emissários do amor de Deus e os apóstolos de sua graça não habitam nos ca­minhos que traçamos por nossa própria conta e risco.

Piada e Reflexão

1- O professor explicava aos alunos que as
doenças podem ser transmitidas por animais e os
aconselhava a não beijarem os bichos, principalmente
os gatos.— Quem aqui pode dar um
exemplo?— Eu, professor! — disse um menino,
levantando a mão. — A minha vizinha toda hora
beijava o cachorrinho dela. E na boca!— Que
perigo! — disse o mestre — O que aconteceu com
ela?— Com ela nada, mas o cachorrinho morreu,
coitado!
* Salmos 126:5 ”Os que semeiam em lágrimas
segarão com alegria. ‘’

2- O pregador ministrava na igreja sobre a
salvação, de repente perguntou: __ Alguém aqui
quer ir pro inferno? Se tiver alguém, levanta a mão.
Então um bêbado levantou a mão, o pregador então
concluiu: alguém mais quer ir pra o inferno? O
bêbado respondeu: tem não, é só nós dois mesmo!”
* Salmos 3:8 ” A salvação vem do Senhor; sobre o
teu povo seja a tua benção.’’

3- E o garotinho para a mãe: – Mamãe, por que o
papai está correndo tanto? – Cala a boca e continua
atirando!
* Êx 20:13 ” Não matarás.’’

4- O paquerador chega para a moça e diz:
– Puxa, como você é bonita! E ela responde: – Pena
que eu não posso dizer o mesmo! E ele, sem perder o
rebolado: – Faça como eu, minta!
* Pv 13:5 “ O justo aborrece a palavra de mentira ”

A MORTE DE POLICARPO

Policarpo, em sua mocidade, foi aluno do apóstolo João. Foi condenado a morrer queimado no ano de 156 d.C. Uma carta da igreja de Esmirna para a de Filomênia assim relata a sua morte:

–  Mas o admirabilíssimo Policarpo, logo que ouviu fa­lar sobre isso (que o procuravam para prender), não se de­sencorajou, mas preferiu permanecer na cidade. Entretan­to, a maioria conseguiu convencê-lo a retirar-se. Então ele se ocultou em uma pequena propriedade… seus persegui­dores chegaram e, como não o encontrassem, aprisionaram dois jovens servos… um deles confessou, sob tortura, o es­conderijo do santo. O oficial apressou-se a conduzir Poli­carpo ao estádio, para que recebesse o castigo que o aguar­dava por ser seguidor de Cristo. Quando adentrava pelo es­tádio, ouviu-se uma voz do Céu que lhe dizia: – “Sê forte, Policarpo, e porta-te varonilmente”. Essa voz foi ouvida pelos crentes que se achavam presentes…

Policarpo foi ameaçado de ser entregue às feras.

– Se desprezas as feras – disse-lhe o procônsul – ordena­rei que sejas consumido na fogueira, se não te retratares.

– Tu me ameaças com o fogo que consome por um mo­mento e logo se apaga, mas desconheces o fogo do juízo vindouro, o fogo da punição eterna, reservado para os ímpios!

A multidão, ávida de morte, pede a fogueira para o “Pai dos Cristãos”, o “Mestre da Ásia”.

Quando quiseram encravá-lo com pregos no poste cen­tral ele disse:

–  Deixem-me conforme estou. Aquele que me deu for­ças para suportar o fogo, também me permitirá que per­maneça na pira inabalável, sem que seja seguro por pregos.

Ao terminar a sua oração, o encarregado acendeu a fo­gueira e grandes chamas se elevaram ao alto…

“E outros experimentaram escárnios e açoites, e até ca­deias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos a fio de espada; andaram vestidos de peles de ove­lhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra” (Hb 11.36-38).