Vida não é obra do acaso

Vida não é obra do acaso; Deus sustenta todas as coisas e a vida não é obra de mera sorte:
• Lua está distante da terra 378.000 km. Se tivesse a 80.000 km da terra, marés cobririam o planeta 7x por dia.
• Se atmosfera fosse mais rarefeita,bombardeio de meteoros diário c/velocidade de 45 km/seg. destruiria tudo.
• A quantidade de oxigênio da atmosfera se fosse um pouco maior, não haveria condições de vida.
• O movimento de rotação, se fosse 1/10 mais lento, os dias teriam 10 x mais duração e as noites 10x e assim tudo seria queimado e congelado de noite.
• A terra em relação ao sol: Se tivesse na mesma distância de mercúrio e vênus a vida seria torrada e se tivesse na distância de marte e plutão, a vida seria congelada.
• O cérebro é a estrutura mais complexa do universo. Possui 10 bilhões de células e cada possui 10.000 a 100.000 fibras interligadas. Se 1/100 dessas interligações funcionasse, seria maior que toda a rede de comunicações da terra e os homens não podem fazer estrutura como o cérebro. Existem 7 x 10000000000000000000000 estrelas, que é mais que os grãos de areia da terra. A terra não poderia ter vida há mais de 10.000 anos atrás, pois a distância entre o sol e na terra, o sol diminui 1,5metros por ano e se fosse há mais de 10.000 anos, não dava para ter vida na terra pois aqui seria uma temperatura de 145 graus celsius.

Anúncios

Mensagem de Hoje

31 de Maio

Sem mim nada podeis fazer. João 15-5

Posso todas as coisas naquele que me fortalece.

Filipenses 4.13

A pane dEle, nada podemos fazer. Enquanto per­manecemos nEle, nada é impossível. Portanto, o objetivo de nossa vida deveria ser continuar numa união viva e intensa com Cristo, guardando-nos de qualquer coisa que possa quebrá-la, empregando todos os meios para solidificá-la e aumentá-la. E exatamente na proporção em que fizermos isso, veremos seu poder fluindo em nós em cada emergência. Talvez não sintamos sua pre­sença, mas perceberemos que está presente sempre que precisarmos depender dela. Não há tentação a que não possamos resistir, nenhuma privação que não consiga­mos suportar com paciência; nenhuma dificuldade que não tenhamos como enfrentar; nenhum trabalho que não consigamos executar; nenhuma confissão ou teste­munho que não possamos dar. Basta que nossa alma esteja vivendo em união saudável com Jesus Cristo; pois de acordo com nosso dia e hora, assim será nossa força.

F. B. Mexer

Estudando os Salmos

Salmos: Lição 1
Fatos para ajudar no estudo do livro de
Salmos Divisões do livro: O nosso livro de Salmos contém cinco partes ou livros:
Livro I – Salmos 1- 41 Livro IV – Salmos 90 – 106
Livro II – Salmos 42 – 72 Livro V – Salmos 107-150
Livro III – Salmos 73 – 89
Autores dos salmos: Os títulos identificam os autores da maioria dos salmos.
Davi escreveu 38 ou 39 de 41 salmos no Livro I
Davi – 3-9,11-32,34-41 2*
Autor não identificado – 1,10,33 (Alguns atribuem Salmo 10 a Davi, pois parece uma continuação do 9 em estilo e mensagem. Estes dois aparecem como um só Salmo na LXX e em algumas traduções modernas da Bíblia)Ele escreveu 18 de 31 salmos no Livro II
Davi – 51-65,68-70
Filhos de Corá – 42,44-49
Asafe – 50
Salomão – 72
Autor não identificado – 43,66,67,71 (Salmo 43 é uma continuação do 42, e assim provavelmente fosse escrito pelos Filhos de Corá, também) Asafe e os Filhos de Corá, cantores em Jerusalém, escreveram quase todos os salmos no Livro III
Davi – 86
Asafe – 73-83
Filhos de Corá – 84-85,87-88
Etã, ezraíta – 89
O autor não se identifica na maioria dos salmos no Livro IV:
Davi – 101,103 95*, 96*, 105*, 106*
Moisés – 90
Autor não identificado – 91-94, 97-100, 102,104
Davi escreveu 15 dos salmos no Livro V. A maioria não tem autor identificado:
Davi – 108-110,122,124,131,133,138-145
Salomão – 127
Autor não identificado – 107,111-121,123,125-126, 128-130,132,134-137,146-149
(150 é a doxologia final do livro)
*Obs.: Ao todo, Davi é identificado pelos títulos como autor de 73 dos Salmos. 1 Crônicas 16 contém porções de Salmos 96 e 105 e a doxologia no final do 106, os atribuindo a Davi. Segundo comentários no Novo Testamento, podemos lhe atribuir mais dois (Atos 4:25 –Salmo 2; Hebreus 4:7 – Salmo 95). Se acrescentarmos Salmo 10 à lista (veja comentário acima), teríamos 79 Salmos escritos total ou parcialmente por Davi. Ainda é provável que ele tenha contribuído com mais alguns, sem se identificar.
Datas dos salmos: Alguns se referem a seu contexto histórico (51,52,54, etc.). Em geral,abrangem 900 anos, de Moisés (90) até o cativeiro na Babilônia (veja 137:1), e continuando até a volta do cativeiro (veja 147:2).
2 Estudo do Livro de Salmos
Paralelismo
nos livros de sabedoria do Velho Testamento
Ritmo, uma das características de muita poesia, geralmente se perde no processo de tradução de um idioma para outro. Por isso, conseguimos cantar os salmos somente com alguma adaptação métrica.Mas há uma outra característica de poesia muito evidente em livros como Salmos e Provérbios. Paralelismo é uma colocação de idéias, normalmente duas, numa estrutura que enfatiza a semelhança ou o contraste entre elas. Diversos estudiosos identificam vários tipos de paralelismo nesses livros. Entre os exemplos mais comuns são:
ì Paralelismo sinonímico: Repete idéias idênticas ou semelhantes usando palavras diferentes.
Salmo 15:1 – Quem, Senhor, habitará no teu tabernáculo?
Quem há de morar no teu santo monte?
Salmo 19:2 – Um dia discursa a outro dia,
e uma noite revela conhecimento a outra noite.
í Paralelismo antitético: Apresenta um contraste entre idéias ou imagens.
Salmo 1:6 – Pois o Senhor conhece o caminho dos justos,
mas o caminho dos ímpios perecerá.
Provérbios 14:28 – Na multidão do povo, está a glória do rei,
mas, na falta de povo, a ruína do príncipe.
Provérbios 14:34 – A justiça exalta as nações,
mas o pecado é o opróbrio dos povos.
î Paralelismo sintético ou construtivo: A segunda parte completa ou acrescenta à primeira parte. Às vezes, repete uma parte da primeira frase e continua com maior desenvolvimento da mesma idéia.
Salmo 29:1 – Tributai ao Senhor, filhos de Deus,
tributai ao Senhor glória e força.
Salmo 145:18 – Perto está o Senhor de todos os que o invocam,
de todos os que o invocam em verdade.
ï Paralelismo emblemático ou simbólico: Uma linha serve como ilustração paralela ao
ensinamento real da outra. Os tradutores, freqüentemente, simplificam a expressão usando palavras
de comparação: “como….assim”.
Provérbios 11:22 – Como jóia de ouro em focinho de porco,
assim é a mulher formosa que não tem discrição.
Provérbios 25:25 – Como água fria para o sedento,
tais são as boas-novas vindas de um país remoto.
Organização Acróstica: Um outro tipo de organização que encontramos em alguns
Salmos e em alguns outros textos do Velho Testamento segue o alfabeto hebraico. Cada
estrofe começa com uma letra diferente. O exemplo mais notável é o Salmo 119.
Estudo do Livro de Salmos 3
Perguntas
Responda às seguintes perguntas sobre o livro de Salmos. Algumas respostas se
encontram na lição, outras no livro de Salmos, e algumas exigem pesquisa em
outros livros da Bíblia.
1. Qual juiz de Israel era descendente de um levita que se rebelou contra Moisés em Números 16?
2. Qual descendente desse juiz era cantor no tabernáculo na época de Davi?
3. Asafe, um dos homens que cantavam em Jerusalém, era descendente de qual dos filhos de Levi?
4. Asafe tocava qual instrumento no louvor?
5. O livro de Salmos contém quantos livros (divisões)? Identifique cada um desses livros.
Exemplo: Livro I – Salmos 1-41
6. Quantos dos Salmos são identificados como Salmos de:
Davi?
Moisés?
Salomão?
Asafe?
Filhos de Corá?
7. O que quer dizer “paralelismo antitético”? Dê um exemplo que não se encontra nesta lição.
8. Como é organizado um salmo acróstico? Dê exemplo de um salmo deste tipo.

EU JÁ SABIA

Uma mulher, lendo Mateus 17.20, resolveu fazer a ex­periência. Orou a Deus que removesse uma montanha que ficava em frente da sua casa. Orou… orou… tornou a orar, sempre de olhos fechados. Depois parou e foi abrindo os olhos devagar… desconfiada. A montanha lá estava no mesmo lugar. Ela, então, com toda a naturalidade, disse:

–  Eu já sabia que Deus não ia mesmo remover essa montanha…

“Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida, é semelhante d onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte” (Tg 1.6).

Consumidor gasta mais com cigarros do que com arroz e feijão

Os gastos da população com cigarros têm se mantido nos últimos anos e o peso dessas despesas no orçamento mensal dos consumidores “é relevante”, disse o  economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da  Fundação Getulio Vargas (FGV), André Braz.

No Dia Mundial sem Tabaco, comemorado hoje (31), o economista comentou as implicações do consumo de cigarro para o orçamento doméstico. Segundo ele, os consumidores gastam com o cigarro o dobro do que usam para comprar arroz e feijão. “1,20% da renda média é gasta com cigarro. É um número representativo se se olhar o gasto com arroz e feijão, que é a metade disso, só 0,60%”, disse.

Segundo dados da Souza Cruz, em 2012, a empresa atingiu 74,9% do mercado brasileiro de cigarros, confirmando a primeira posição no setor. No quarto trimestre a participação teve um crescimento de 1,2 ponto percentual no ano, chegando à participação recorde na sua história, de 76.6%. Ainda de acordo com a empresa, o lucro operacional ficou em R$ 2.37 bilhões, que representa aumento de  9% em relação a 2011. O desempenho incluí os resultados com exportação de tabaco, que no mesmo período de comparação, conforme a companhia, teve crescimento de 106%.