Noé o Oitavo Sobrevivente

A despeito da ausência de aparelhagens meteorológicas sofisticadas, o Dilúvio dos tempos de Noé não veio sem aviso. Deus revelou Seu plano de um juízo global catastrófico aproximadamente um milênio antes a Enoque, que deu a seu filho o nome de Metusalém para celebrar a memorável revelação. O nome Metusalém transmite um mau presságio e significa literalmente, “Quando ele morrer, isso será enviado”.[1] Não é por coincidência que Metusalém morreu apenas alguns meses antes do grande Dilúvio e que sua vida seja a mais longa registrada em toda a história.

Desde o tempo da expulsão de Adão e Eva do jardim do Éden até o Dilúvio, houve uma determinação cada vez maior por parte da humanidade em desafiar os preceitos de Deus:

A maldade do homem se havia multiplicado na terra e […] era continuamente mau todo desígnio do seu coração. […] Todo ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra” (Gn 6.5,12).

A humanidade não estava apenas corrompida, mas era cheia de violência; o mundo estava pronto para o juízo (v.11). E, embora Deus tenha suspendido a execução da raça humana por muitos anos, Ele finalmente cumpriu o que havia prometido.

Além da rebelião humana coletiva contra Deus, muitos estudiosos da Bíblia crêem que também houve rebelião dos anjos. Embora haja outras interpretações para Gênesis 6.4, uma visão bastante respeitada é que alguns anjos caídos deixaram sua habitação normal, escolheram viver no âmbito físico e coabitaram com mulheres terrenas [veja também Jd 6-7]. Essas uniões produziram “valentes, varões de renome”, ou descendentes super-humanos que podem ter sido a origem de mitologias e lendas antigas.

Como apenas seres humanos podem ser redimidos, o objetivo provável desses anjos caídos era saturar toda a raça humana com uma linhagem demoníaca, tornando impossível a salvação da humanidade.[2] O plano redentor para a humanidade precisava eliminar um mundo corrompido pelo cruzamento com demônios, pela maldade e violência desenfreadas. Por isso, Deus anunciou: “Resolvi dar cabo de toda carne […] eis que os farei perecer juntamente com a terra” (Gn 6.13).

Em preparação para o Dilúvio, Deus ordenou que ele construísse uma arca de refúgio (v.14). Assim que foi terminada, a arca era um sinal de juízo iminente, uma vez que Noé continuava pregando para um mundo que não se arrependia.

Deus preveniu a humanidade por meio de uma família de profetas começando com Enoque; depois, o filho de Enoque, Metusalém; o neto, Lameque; e finalmente, o bisneto, Noé. Noé pregou sobre a vinda do julgamento global a uma geração cada vez mais perversa. Em preparação para o Dilúvio, Deus ordenou que ele construísse uma arca de refúgio (v.14). Assim que foi terminada, a arca era um sinal de juízo iminente, uma vez que Noé continuava pregando para um mundo que não se arrependia.

Então, “aos dezessete dias do segundo mês [no ano em que Metusalém morreu],[3] nesse dia romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as comportas dos céus se abriram” (Gn 7.11).

Horríveis Geysers de Água e Gás

O juízo profetizado veio com a força de um tsunami. Pesquisadores que estudam catastrófes em placas tectônicas apresentam um modelo de Dilúvio que é nada menos que medonho. Eles sugerem um cenário aterrador, começando com terremotos que agitaram o planeta à medida que as placas pré-diluvinas do fundo oceânico se soltaram e rapidamente afundaram em direção ao centro da Terra. Placas continentais foram velozmente tragadas para dentro dessas “zonas de subdução”, como tapetes gigantes que estavam sendo arrancados de debaixo dos habitantes da Terra.[4]

As pancadas da crosta continental nas placas oceânicas causaram um levantamento do fundo oceânico, deslocando enormes quantidades de água dos mares do mundo para cima de terras secas. Um cientista estima um aumento no nível do mar “de mais de um quilômetro a partir apenas desse mecanismo”.[5]

Materiais derretidos escorrendo através de fissuras que iam avançando vaporizaram os oceanos e aqueceram os reservatórios subterrâneos, criando geysers lineares de água e gases quentes de milhares de quilômetros de extensão. À medida que esses gases e vapores esfriaram, eles condensaram, fornecendo a fonte principal das chuvas torrenciais durante os primeiros 40 dias e noites do grande Dilúvio.[6]

Exclusiva do mundo antediluviano era a abóbada de água-vapor que cobria a Terra e que criou o efeito-estufa que regulava as temperaturas globais. Os eventos destrutivos que se desenrolaram sobre o planeta fizeram desmoronar essa abóbada que os cientistas criacionistas estimam que continha o equivalente a alguns centímetros até 12 metros de água. Em pouco mais de um mês, a água cobriu cada centímetro do globo com 15 côvados (aproximadamente 6,60 metros) acima do ponto mais elevado da terra (Gn 7.20).

Pelo Menos 235 Milhões Morreram

Deus tinha anunciado: “Estou para derramar águas em dilúvio sobre a terra para consumir toda carne em que há fôlego de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra perecerá” (Gn 6.17). A Bíblia registra: “Pereceu toda carne que se movia sobre a terra […] foram exterminados todos os seres que havia sobre a face da terra” (Gn 7.21,23).

O grande Dilúvio destruiu uma população global estimada em pelo menos 235 milhões de pessoas, de acordo com o Dr. Henry M. Morris. Segundo esse autor, “mais de 3 bilhões de pessoas poderiam facilmente estar na terra nos tempos de Noé”.[7] A não ser por Noé e sua família, toda a humanidade pereceu.

Ainda que o grande Dilúvio seja uma demonstração sem precedentes do juízo de Deus, ele também é um testemunho de Sua graça, disponível para todos que a aceitam.

O Dilúvio foi um julgamento destruidor terrível sem paralelos na história. O fato de que grupos de pessoas de todas as regiões do globo conservem uma “tradição de Dilúvio” não apenas reforça a historicidade, mas também estabelece uma conexão de ancestralidade comum com aqueles que realmente experimentaram o evento.[8] As milhares de histórias folclóricas de um dilúvio global em si já corroboram o relato de Gênesis.

A etimologia do nome de Noé e as palavras associadas com o Dilúvio também apresentam um vínculo intrigante com as oito pessoas que sobreviveram na arca que repousou sobre as montanhas de Ararate. Com os fatos horríveis gravados indelevelmente em suas memórias, essas oito pessoas saíram da arca para repovoar a terra, gravando a experiência de sua sobrevivência nas mentes de seus descendentes.

A rebelião aberta contra Deus acompanhada pela depravação completa do mundo antediluviano precipitaram a subseqüente destruição de quase toda a carne por parte de Deus. Embora Sua promessa de um juízo global não tenha sido cumprida imediatamente, ela finalmente o foi; e apenas oito almas que atenderam a admoestação de Deus sobreviveram.

Anúncios

O Espirito Santo o Melhor Amigo do Crente

pomba-branca-cristao-para-viver-cheio-espirito-santo

Se você é um crente nascido de novo no Senhor Jesus Cristo, o melhor amigo que você poderá ter nesta terra é o Espírito Santo. Disse Jesus:

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós” (Jo 14.16-17).

Deus Pai e Deus Filho enviaram o Espírito Santo, “outro Consolador”, para tomar o lugar de Jesus nesta terra. Ele vem em nome de Jesus: “Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” (v.26).

O Espírito Santo deve ser para nós o que o próprio Jesus foi para os discípulos quando estava em carne aqui na terra. Jesus caminhou, conversou e teve comunhão com eles; Ele os dirigiu, instruiu e protegeu. Ele disse: “Eu vou embora, mas enviarei Outro para andar com vocês, ser amigo de vocês e estar com vocês”.

O Espírito Santo ficou no lugar de Jesus aqui na Terra. Jesus quer que você venha a conhecer o Espírito Santo – amar, confiar e crer no Espírito Santo que habita em nosso coração – conhecê-lO pessoalmente e dar-Lhe o lugar real que Ele merece.

O Espírito Santo é uma Pessoa. Não se refira a Ele como se fosse uma coisa. Devemos tratá-lO como trataríamos Jesus se Jesus estivesse aqui em carne. Você honraria e reverenciaria o Senhor Jesus. Faça o mesmo com o Espírito Santo.

O Espírito Santo ministra a nós de muitas maneiras.

O Espírito Santo Nos Convence

Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim” (Jo 16.7-9).

Sem o poder convincente do Espírito Santo, você nunca teria percebido sua necessidade do Salvador. Ninguém voluntariamente desistiria de seu pecado e daria as costas a este mundo em verdadeiro arrependimento – exceto quando o Espírito Santo coloca Seu dedo no coração da pessoa e a convence da perniciosidade e da malignidade do pecado e lhe mostra que ela está debaixo da maldição de Deus, e destinada ao inferno.

O Espírito Santo Nos Atrai

Você acha que vir a Deus foi idéia sua? Não foi. Você estava fugindo dEle. Se Ele não o tivesse seguido até cansá-lo, você jamais teria sido salvo.

Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer” (Jo 6.44).

Você acha que vir a Deus foi idéia sua? Não foi. Você estava fugindo dEle. Se Ele não o tivesse seguido até cansá-lo, você jamais teria sido salvo.

Existem aqueles que estudam crescimento de igreja e que aconselham que sejam feitos cultos que sensibilizem aqueles que buscam. Eles dizem que devemos ser sensíveis a todas as pessoas que estão buscando o Senhor. Verdadeiramente, nenhuma delas está buscando o Senhor! Ele é que as busca: “Não há quem busque a Deus” (Rm 3.11). Nós jamais teríamos vindo se Ele não nos tivesse atraído, alcançado e ensinado.

O Espírito Santo Nos Ensina

Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia” (At 16.14).

Ele abre nosso entendimento para o Evangelho. Quem trouxe Lídia a um entendimento do Evangelho? O Espírito Santo. Pense sobre uma ocasião em que você testemunhou pessoas vindo a Jesus. Quem fez aquilo? Foi o coral? Um pregador? Não. O Espírito Santo abriu o coração delas para que pudessem entender o Evangelho. Sem o Espírito Santo, as pessoas não conseguem entender as coisas espirituais: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (1Co 2.14).

O Espírito Santo Nos Sela

Também vós (…) tendo nele crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa” (Ef 1.13).

O ministério do Espírito Santo não cessa depois que você é salvo. Ele sela você no corpo de Cristo: “Entretanto, o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2Tm 2.19). O selo é o carimbo que designa propriedade, uma transação terminada. Quando você é salvo, você é marcado, selado e liberto pelo Espírito Santo de Deus.

O Espírito Santo Habita Em Nós

Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus?” (1Co 6.19).

Algumas pessoas pensam que Deus habita em um auditório de uma igreja. A igreja não é o santuário. Deus não habita em templos feitos por mãos de homens. Ele vem para viver em nós. Quando você é salvo, todo lugar é um lugar santo. Todo dia é um dia santo. Você já não pertence mais a você mesmo; você foi comprado com o sangue cujo preço é inestimável, o sangue de Jesus, para glorificar a Deus em seu corpo. Você é o templo do Espírito Santo de Deus.

O Espírito Santo Nos Consola

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja sempre convosco” (Jo 14.16).

Você acha que vir a Deus foi idéia sua? Não foi. Você estava fugindo dEle. Se Ele não o tivesse seguido até cansá-lo, você jamais teria sido salvo.

Uma vez que o Espírito Santo tenha selado você no corpo de Cristo e habita em você, Ele o conduz pela vida toda. Desde o menor pesar até a mais profunda dor, Ele lhe dá o consolo que ninguém mais pode dar.

O Espírito Santo Nos Guia

Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” (Jo 16.13).

Deus nunca teve a intenção de que você tropeçasse nas trevas, tateando de lá para cá, como um navio sem leme numa noite escura e de tempestade. Não! Você pode caminhar na luz à medida que o Espírito Santo abre seu entendimento, guia você, ensina você, instrui você e dirige você em meio a este mundo.

O Espírito Santo Nos Dá Poder

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas” (At 1.8).

Graças a Deus pelo poder do Espírito Santo, que nos enche de poder!

O Espírito Santo Intercede Por Nós

Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26).

Ele é o Espírito da oração e da intercessão.

Temos um amado amigo na Pessoa do Espírito Santo. Ele é para nós o que Jesus foi para os discípulos. E devemos ser para Ele o que os discípulos foram para Jesus. Como somos abençoados por termos um Amigo como Ele! (Adrian Rogers – Israel My Gloryhttp://www.chamada.com.br)

O já falecido Adrian Rogers foi conhecido por seu ilimitado compromisso com a Palavra de Deus. Pastor da Igreja Batista Bellevue, com 29 mil membros, em Memphis, Tennessee (EUA), o Dr. Rogers também foi, por três mandatos, presidente da Convenção Batista do Sul, e fundador do ministério “Love Worth Finding” [O Amor Que Vale a Pena Encontrar].

Reforma altera atendimento no Hospital de São José de Mipibu

Os serviços do Pronto Socorro Adulto do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, serão suspensos temporariamente a partir desta quarta-feira (30). A medida é necessária para garantir a conclusão das obras de revitalização da unidade. A previsão é que a reforma seja concluída em 90 dias, quando os atendimentos no pronto-socorro adulto deverão ser retomados. A maternidade continuará em pleno funcionamento.

Os pacientes de alta complexidade serão encaminhados ao Hospital Deoclécio Marques de Lucena, em Parnamirim, e os de média e baixa complexidade devem se deslocar para as unidades básicas de saúde (UBS) dos municípios. Em São José de Mipibu, a UBS já está funcionando das 18h às 6h da manhã.

Na primeira fase das obras o Hospital Monsenhor Antônio Barros foi contemplado com reforma do laboratório, farmácia, centro cirúrgico, pronto socorro e recepção.

Com a assinatura do Termo de Ajustamento de Gestão (TAG), a segunda fase das obras irá contemplar a reforma da ala das enfermarias, que inclui o alojamento conjunto para as pacientes da maternidade e a área de internação adulto, o setor de Nutrição, Almoxarifado, Central de Abastecimento Farmacêutico e Setor Administrativo. Após a reforma o hospital contará com 13 leitos de internação clínica, 32 de alojamento e 10 de enfermaria cirúrgica, totalizando 55 leitos.

“Em virtude da falta de espaço físico tivemos que optar pela manutenção dos serviços que representam uma demanda maior, que são a maternidade e o pronto-socorro infantil. O principal objetivo é acelerar a obra sem prejudicar o serviço que vem desempenhando um papel importante, que é o da maternidade. A  reforma é necessária e trará benefícios ao hospital”, explica a diretora geral da unidade, Isabelle Grilo.

10 sintomas da pobreza de um jornalista

1. Ir à pauta de busão para embolsar a grana do táxi.

2. Fazer anotações na mão para economizar folhas do bloquinho.

3. Ir a uma coletiva chata só para garantir o almoço do dia.

4. Esfregar a caneta velha entre as mãos para soltar a tinta ressecada.

5. Passar a madrugada à base de café requentado escrevendo frilas que pagam mal pra cacete.

6. Aproveitar a entrevista com uma dermatologista famosa para perguntar qual o melhor tratamento para olheiras de jornalistas que passam a madrugada à base de café requentado escrevendo frilas que pagam mal pra cacete.

7. Decorar a casa só com presentinhos de assessor.

8. Perguntar ao entrevistado qual a operadora do celular dele para escolher o melhor chip e gastar menos no pré-pago.

Por Duda Rangel

9. Vender tudo que é tranqueira no Mercado Livre para conseguir comprar uma máquina fotográfica no Mercado Livre.

10. Usar a mesma calça jeans e o mesmo All Star há anos.

O Duas Estúdio traz Curso Intensivo de Introdução ao Estúdio Fotográfico em Maio em parceria com o Sebrae|RN

Estudio Sebrae Duas red

Começando Maio já com novidades, o Duas Estúdio traz nova turma de Introdução ao Estúdio. Desta vez contamos com a parceria do Sebrae|RN que acredita e incentiva a fotografia Potiguar, assim como o Duas. Voltado para fotógrafos profissionais e amadores com nível intermediário, o curso aborda desde apresentação do equipamento fundamental para o funcionamento de um estúdio fotográfico até a fotografia especializada em gastronomia, produto, retrato e moda com modelo e maquiagem profissional.
Em formato intensivo, o curso terá 20 horas/aulas e acontecerá durante a semana de 05 a 09 de maio, com encontros das 18h às 22h. O curso acontece na sede do Sebrae/RN [AV. Lima e Silva, 76 – Lagoa Nova] e tem valor reduzido de R$100,00.
Uma oportunidade imperdível! Mas as vagas são limitadas a 15 alunos!
Inscreva-se já através do telefone 0800 570 0800
Para mais informações e programa completo do site, acesse www.duasestudio.com

Duas Estúdio


Elisa Elsie – 84 9982.7193
Mariana do Vale – 84 9664.8789

O que significa Igreja em grego?

 Uma Visão Compenetrada do Grego Bíblico
Muitas pessoas sabem que a palavra portuguesa “eclesiástico” significa “ter a ver com a Igreja”. Poucas pessoas sabem que esta palavra vem da palavra grega ekklesia (ἐκκλησία), que significa “assembleia” ou “reunião”. Ainda menos pessoas sabem que, se dividirmos esta palavra, vemos que ela é formada de duas palavras menores: ek (ἐκ) e kaleo (καλέω) ou “fora” e “chamar”.

Neste sentido, o que estudiosos para fins de discussão teológica chamam a igreja cristã primitiva compartilhava seu formato básico com a sinagoga judaica contemporânea. É intrigante que em aramaico é também chamada “assembleia” – kenista (כניסתא).

É fato, porém, que no Novo Testamento, ekklesia (ἐκκλησία) é o termo mais frequentemente usado para se referir à igreja. Ele sugere que os primeiros seguidores de Jesus se viam como uma comunidade de um povo com um chamado especial.

É provável que este termo “chamado para fora ou chamado adiante” evocasse a conexão com o livramento de Israel da escravidão egípcia. Também pode nos direcionar a um aspecto importante característico de muitas igrejas primitivas – muito mais do que apenas um santuário de oração, a ekklesia era um lugar para companheirismo, onde os crentes oravam, estudavam, cuidavam dos doentes e compartilhavam refeições.

Há muito mais que podemos ver quando lemos a Bíblia nos idiomas originais e consideramos o contexto histórico da Bíblia!