Sesap divulga mapa da situação da dengue no Rio Grande do Norte

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou, nesta sexta-feira, dia 26, os dados da situação da dengue no Rio Grande do Norte em 2014. As informações se referem ao período de 1º de janeiro a 6 de setembro.

O Mapa de Vulnerabilidade para ocorrência de epidemia de dengue no Estado em 2014 aponta 47 municípios com incidência alta da doença e 36 com incidência média. Até o dia 6 de setembro foram confirmados 2.818 casos da doença, com 16 óbitos confirmados como decorrência da dengue grave. Entre os municípios com maior número de casos notificados estão Natal, Caicó, Parelhas, Parnamirim e Mossoró. No ano de 2013 foram confirmados 26 óbitos por dengue, um aumento de 30% em relação ao ano de 2012.

“É muito importante que os municípios notifiquem e investiguem os casos suspeitos de dengue”, alerta Silvia Dinara Pereira, responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle da Dengue. Ela lembra que o número de óbitos causados pela doença vem aumentando e estudos apontam que o protocolo de manejo clínico da dengue, recomendado pelo Ministério da Saúde, não vem sendo seguido corretamente. “A doença começa com sintomas simples, mas pode evoluir rapidamente para a forma mais grave”.

A ausência da investigação dos sinais de alarme (dor abdominal intensa, vômito persistente e sangramentos importantes), a hidratação inadequada (que deve ser feita desde o primeiro atendimento) e a liberação dos pacientes sem atender aos critérios de alta médica recomendados pelo Ministério da Saúde são indícios apontados, pelo próprio Ministério, como fatores para o aumento das taxas de óbitos por dengue.

A Sesap atua na assessoria, capacitação, supervisão técnica e distribuição de larvicida para todos os municípios do Estado. A prevenção deve ser constante, seguindo os já conhecidos cuidados básicos: não jogar lixo em terrenos baldios, evitar recipientes que acumulem água e limpar periodicamente as caixas d’água, deixando-as tampadas.

Aos primeiros sinais de febre e dores no corpo, é necessário procurar a unidade de saúde mais próxima e informar ao médico todos os sintomas e, principalmente, evitar a automedicação para não mascarar os primeiros sinais da doença.

Anúncios

“Caminhada pela Vida” comemora o Dia Nacional de Doação de Órgãos amanhã (27)

A Central de Transplantes da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), em comemoração ao Dia Nacional de Doação de Órgãos, realiza amanhã, dia 27, a II Caminhada pela Vida, com saída prevista para às 7h30, do Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFRN), da Avenida Senador Salgado Filho com destino ao Hemonorte. A Caminhada vai reunir transplantados, receptores e famílias de doadores, além dos diversos segmentos da sociedade, que se confraternizarão e falarão sobre suas experiências com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância da doação de órgãos e tecidos para transplantes.

O evento marca o encerramento das atividades desenvolvidas pela Sesap durante todo o mês de setembro, com realização de ciclo de palestras em instituições como faculdades, hospitais e empresas públicas e privadas. Cada participante receberá um kit de camiseta e viseira da Central de Transplantes, cuja entrega será no local da concentração (IFRN), a partir das 7h.

No local de chegada da Caminhada haverá apresentação da banda de Música da Polícia Militar do RN e uma programação de depoimentos de transplantados, receptores e famílias de doadores. Segundo a subcoordenadora da Central de Transplantes do RN, Patrícia Suerda, o evento vai celebrar a nova vida dos pacientes que foram transplantados, como também homenagear as famílias dos doadores de Órgãos. De acordo com ela, o alvo da caminhada é a sensibilização da população, já que o Rio Grande do Norte teve, ano passado, um índice de recusa familiar superior a 60%. Ou seja, de cada 100 famílias consultadas sobre a doação de órgãos do ente querido, 60 responderam “não”.

“Por isso, nosso intuito é chegar na população para dar ciência de como acontece o processo, porque acreditamos que muitas famílias não autorizam a doação por simples desconhecimento, bem como por mito ou tabu sobre a doação de órgãos”, esclarece Patrícia Suerda.

 

Brasil lidera ranking de transplantes

 

De cada oito potenciais doadores de órgãos, apenas um é notificado. Apesar do baixo índice de doações, o Brasil é o segundo país do mundo em número de transplantes realizados por ano, sendo mais de 90% pelo sistema público de Saúde. O resultado positivo é devido, principalmente, a organização de Centrais de Notificação, Captação e distribuição de Órgãos em todos os estados, coordenando a captação e a alocação dos órgãos, baseada na fila única, estadual ou regional.

Segundo dados da Central de Transplantes do Rio Grande do Norte, o estado registrou, até o primeiro semestre deste ano, uma média de 14,5 doadores efetivos por milhão de população (pmp), número acima da média nacional que, no mesmo período, foi de 13,5 doadores efetivos por milhão de população. Em relação ao ano de 2013, esse número também cresceu, considerando que em 2013 foi de 13,9 doadores pmp no RN.

Outro número que merece destaque no RN é o de transplantes de rim. Até agosto desse ano foram realizados 54 transplantes de rim, enquanto em todo ano de 2013 foram feitos 50. “Isso porque a maior parte (80%) dos rins captados no RN foi transplantada aqui mesmo, o que representa uma importante evolução, comparado ao ano de 2012 quando apenas 50% desses órgãos eram transplantados no RN e os outros 50% eram distribuídos a outros estados do país, através da Central Nacional de Transplantes (CNT)”, explica a subcoordenadora da Central de Transplantes, Patrícia Suerda Maciel.

O RN também conseguiu reduzir os índices de recusa familiar. No ano de 2013, esse índice era de 61% e, no primeiro semestre deste ano, essa recusa caiu para 52%, graças ao trabalho educativo que vem sendo realizado pela Central de transplante, através de palestras em diversas instituições hospitalares, nos municípios do interior do Estado, nas instituições de ensino e etc.

Dados de transplantes no RN referentes ao ano de 2014

Doações de córnea: 63

Doações de Múltiplos Órgãos: 31

Transplantes de córnea: 99

Transplantes de rim: 53

Transplantes de Medula Óssea: 35

Disponibilizado fígado: 23 (Órgãos que foram captados no RN e ofertados para a Central Nacional de Transplantes).

Disponibilizado rim: 13 (Órgãos que foram captados no RN e ofertados para a Central Nacional de Transplantes).

Hemonorte reúne jovens do Clube 25 para debater vida saudável

Acontece neste sábado (27), às 15 horas, no Hotel Praiamar, Ponta Negra, o encontro anual do Clube 25. O evento, organizado pelo Hemocentro Dalton Cunha (Hemonorte), reúne jovens de 16 a 21 anos que são doadores voluntários de sangue.

Criado há seis anos no Rio Grande do Norte, o Clube 25 vem desenvolvendo ações educativas para a saúde, com o objetivo de fidelizar, conscientizar e incentivar os jovens a adotarem hábitos de vida saudável, valores humanos e éticos. Além de doadores, os jovens tornam-se multiplicadores de informações sobre a doação voluntária de sangue e hemoderivados.

Durante o encontro serão debatidos temas como Conexão para preservar vidas/Hemoliga; Amar e se cuidar (abordagem cênica da sexualidade na juventude); Vida saudável e solidariedade (DST e AIDS); doação de órgãos e tecidos para transplantes.

O Clube 25 é um projeto mundial criado pela Cruz Vermelha e Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). No RN, o Clube conta com 650 associados. Para aderir o jovem precisa ter entre 16 a 21 anos, assinar termo de adesão, no qual se compromete a manter um estilo de vida saudável (sem riscos de contaminação por doenças infecto-contagiosas), realizar no mínimo três doações de sangue ao ano, totalizando 25 doações até completar 25 anos.

Seminário aborda políticas públicas de saúde junto a povos de matrizes africanas

Com o objetivo de construir uma rede para ampliar as ações de promoção da saúde nos espaços de culto das religiões de matrizes africanas, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) promove durante toda esta sexta-feira (26) o “Seminário Promoção de Saúde nos Saberes e no Cuidar”. O evento acontece das 9h às 17h no auditório da instituição, 12º andar.

O evento está sendo coordenado pelas Subcoordenadorias de Informação, Educação e Comunicação (SIEC) e de Ações da Saúde (SUAS) da Sesap em parceria com representantes das religiões de matrizes africanas no Rio Grande do Norte. A programação destaca a importância desses espaços religiosos para se trabalhar questões relacionadas a gênero, saúde sexual e reprodutiva, práticas complementares de saúde, entre outras temáticas.

Para os técnicos da Sesap é uma oportunidade que vem contribuir com a formação de estratégias de mobilizações coletivas de saúde pública nestes espaços. O encontro também aproxima a Secretaria aos saberes das lideranças dos terreiros que atuam no exercício do controle social de políticas públicas de saúde.

Além de profissionais da Saúde Estadual e de representantes das religiões de matrizes africanas, participam ainda do evento, técnicos e gestores da Secretaria de Saúde do Município de Natal.

Centro Acadêmico de Comunicação Social realiza debate com candidatos a Governador na Uern

O Centro Acadêmico Jornalista Dorian Jorge Freire (Cacos), do curso de Comunicação Social da Uern, realizará debate entre os candidatos ao Governo do Estado, nesta segunda-feira, 29 de setembro, às 19:30 no auditório da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (Fafic) – Campus Central (Mossoró). O debate terá duração média de duas horas e é aberto a alunos, professores, técnicos administrativos e comunidade externa.

“Resolvemos fazer este debate porque entendemos a importância de trazer as discussões políticas para o âmbito da Universidade, ainda mais se tratando do pleito para o cargo de Governador do Estado, que, além do rumo de macro áreas como saúde, educação e segurança, determina coisas como o orçamento anual disponível para a Uern”, disse a estudante de jornalismo e membro do Centro Acadêmico, Ana Paula Cardoso.

O evento é o primeiro do tipo realizado por alunos de Comunicação da Uern e contará com os candidatos Araken Farias (PSL), Robério Paulino (PSOL), Simone Dutra (PSTU), Fábio Dantas (PCdoB) – candidato a vice-governador ao lado de Robinson Faria (PSD) – e João Maia (PR) – candidato a vice-governador ao lado de Henrique Alves (PMDB).

Serão aplicadas as seguintes regras para o debate: primeiro, cada candidato terá 30 segundos para se apresentar e saudar o público, etc. Depois, será iniciada a primeira rodada de perguntas, feitas pelos apresentadores do debate – membros do Centro Acadêmico -, sendo que cada candidato responderá a duas perguntas, com comentários de outro candidato. O tempo para cada pergunta será de 30 segundos, com resposta de 2 minutos, réplica de 40 segundos e tréplica de 40 segundos.

Na segunda fase, candidatos farão perguntas diretamente para outros candidatos. Cada aspirante a governador poderá fazer duas perguntas, sendo que cada um só poderá perguntar a um mesmo candidato apenas uma vez. O tempo para pergunta, réplica e tréplica será o mesmo da primeira rodada.

 Na última rodada, será aberto espaço para quatro perguntas: duas da plateia e duas feitas por expectadores pela internet. As perguntas deverão ser respondidas por todos os candidatos dentro de até 2 minutos. Sugestões de perguntas poderão ser feitas pelo público até o dia do debate, através do e-mail cacosuern@gmail.com.

O candidato que se sentir ofendido, poderá pedir direito de resposta, que será avaliado por comissão específica. O tempo reservado para a defesa será de 1 minuto. Por fim, cada candidato terá 1 minuto e meio para as considerações finais.

Contatos: 

Ana Paula Cardoso – Diretora de articulação com as instituições – (84) 9136 – 4404 / 9805 – 7810

Júnior Medeiros – Diretor de assuntos acadêmicos – (84) 8725 – 7686

Atenciosamente,
Centro Acadêmico Jornalista Dorian Jorge Freire.

Fazer o Bem

“Vós, porém, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.” (2 Ts 3:13)
Os dias que vivemos são dias de dificuldade. Dificuldade financeira para muitas pessoas, de miséria total para outras, de fome, de doenças e guerras para outras. São tempos onde não precisamos nem ao menos sair de casa para vermos pessoas que padecem das mais variadas necessidades, porque elas ora batem a nossa porta, ora são mostrados pela TV, ora são nossos vizinhos…
Em dias como estes, falando francamente, se alguém vier me perguntar como fazer o bem, eu fico sem saber o que dizer. Não precisamos ver a Etiópia, basta olhar em volta. Nunca me esqueço de um dia em que eu saia de uma farmácia quando um rapaz com vinte e poucos anos veio falar comigo, com uma menina que não devia ter mais do que uns quatro meses no colo, quase chorando, pedindo para comprar uma lata de leite em pó porque sua esposa não tinha mais leite para amamentar, e ele ganhava muito pouco para comprar o leite. Durante algumas noites eu ia dormir e lembrava dele dizendo “não quero dinheiro não, senhor, só quero o leite, por favor, não é pra mim, é para o neném…” Obviamente o Espírito Santo superou meu vigoroso músculo do pulso, que uso para segurar o cartão de crédito, e acabei sendo eu a comprar o tão pedido leite.
Não que só possamos sufocar a fome das pessoas com comida a agasalho, mas isso também é necessário, tanto quanto dar ouvidos aos solitários, ser atencioso com idosos, e coisas deste nível. É uma maravilha poder viver, e com conforto então mais ainda. Mas tira todo meu pouco conforto que tenho ver gente que nem sequer viver tem conseguido. Uma mulher certa vez confessou que estava indo se suicidar quando parou para conversar com uma outra pessoa, que naquele exato momento falou de Jesus para ela, e tomando-a pela mão levou a presença de um certo pastor que orou por ela, e por isso ela vive até hoje.
Dar atenção aos deprimidos é fazer o bem. Anunciar Jesus aos necessitados é fazer o bem. Matar a fome ou a sede é fazer o bem. Repartir o que se tem é fazer o bem, mesmo quando não se tem muito.
Os dias que vivemos são também dias de fartura para alguns. Temos visto escândalos internacionais, nos quais um único homem roubou tanto dinheiro que poderia comprar comida para 2 milhões de pessoas almoçarem durante uma semana. Isso o que veio a público, porque talvez tenha sido mais. Homens que estão acima da chamada justiça, não são presos, conseguem bons advogados, fogem para o exterior, vivendo como reis em outras terras, com bens que nem se podem enumerar. Estes, muitas vezes “ajudam” pessoas, instituições de caridade, distribuem cesta básica nos bairros, pagam contas de luz em atraso e muito mais. Só que com o meu dinheiro e o seu, não com o deles, porque roubaram do povo milhões para devolverem migalhas… Isso não é fazer o bem…
A nós, que temos contato com a Palavra de Deus, cabe examinar o exemplo de Jesus, para ver se temos feito realmente o que está ao nosso alcance. Note que o autor não se dirigiu a todas as pessoas, mas aqueles que se pode chamar de irmãos, gente como eu e você que temos compromisso com o Senhor Jesus.
Neste texto Paulo diz claramente para não cansarmos de fazer o bem, não simplesmente para fazê-lo. Assim, eu quero acordar amanhã um pouco mais preocupado em fazer o bem, para que no dia seguinte eu tenha como acordar novamente, sabendo que talvez alcance um pouco mais longe. Quem sabe se a vida que eu salvei com uma lata de leite em pó não evangelizará nações ao crescer?
Oração: “Pai, muitas pessoas precisam de mim, e tenho certeza que posso fazer ao menos um pouco mais por elas. Mostra-me como e onde, para que eu faça o bem sem me cansar.”