Programa de Telemedicina já realizou 338 mil exames em quase cinco anos de atuação

Programa de Telemedicina já realizou 338 mil exames em quase cinco anos de atuação

O Programa de Telemedicina do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) é pioneiro no país como política assistencial de saúde pública. Implantado em setembro de 2010, o Programa permite a realização de exames e atendimentos por telefone fixo, celular ou internet, 24 horas em todos os dias da semana.

Desde o início de seu funcionamento até hoje, já realizou mais de 338 mil exames, com aproximadamente 574 mil diagnósticos em cardiologia, sendo 13.529 infartos, 5.708 arritmias supraventriculares, 9.105 taquicardias supraventriculares, 270 taquicardias ventriculares, 8.800 arritmias ventriculares, 53.337 conduções IV (Bloqueios de ramo), 3.162 sobrecargas atriais e ventriculares, 54.897 repolarizações e 953 pacientes com marcapasso. Ao todo, foram beneficiadas 203.303 mulheres e 135.469 homens.

Apenas no primeiro semestre deste ano, foram realizados 38 mil tele eletrocardiogramas, com 60 mil diagnósticos em cardiologia, sendo 1.865 infartos. Foram atendidas 22.650 mulheres (58,95%) e 15.889 homens (41,5%).

Atualmente o programa dispõe de um contrato que possibilita o funcionamento de 300 aparelhos de tele-eletrocardiografia portátil de 12 derivações simultâneas em pontos assistenciais de saúde (Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Estratégia Saúde da Família, Unidades de Pronto Atendimento e Hospitais), em todos os 167 municípios do Estado, que contam, assim, com os serviços de cardiologistas, interpretando e emitindo o diagnóstico através de laudos, além de fornecer a segunda opinião médica, por meio virtual.

Dessa forma, o programa contribui para fortalecer a regionalização dos serviços de saúde no RN, meta da atual gestão da Sesap. “Estamos com o foco voltado para as unidades de Estratégia de Saúde da Família localizadas na zona rural dos municípios, áreas remotas. Nos locais onde porventura não haja telefonia fixa, utilizaremos o sinal de telefonia móvel para prover a assistência a essa população”, explicou Eduardo Albuquerque, coordenador do Programa de Telemedicina.

De acordo com o coordenador, o programa funciona de forma simples: “basta uma linha telefônica convencional ou aparelho celular para enviar o exame por meio de sinais sonoros a uma Central da Telemedicina. A Central decodifica a transmissão gravada em um banco de dados (prontuário eletrônico). Imediatamente, a equipe médica de plantão analisa o eletrocardiograma enviado pelo médico. Cada unidade executante gera seu boletim ambulatorial e informa ao DATASUS/MS sua estatística de realização dos tele eletrocardiogramas”, disse Eduardo Albuquerque.

Como não é possível ter um cardiologista em cada município do estado e o eletrocardiograma necessita de um especialista para interpretá-lo, o Programa de Telemedicina é um suporte importante para cobrir locais sem a presença desse médico, oferecendo capacitação permanente para os profissionais envolvidos. O programa atende o paciente que procura as unidades de saúde com queixa de dor precordial (dor no peito) e que dentro dos protocolos da área de cardiologia permite a realização de um eletrocardiograma. Além disso, atende pacientes que necessitam de risco cirúrgico cardiológico para a realização de um procedimento eletivo.

Telemedicina em E.C.G. - Foto Carlos Costa

Anúncios
Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s