Cristão é jogado em cela com animais ferozes e sai ileso

Um ex-muçulmano egípcio foi preso e torturado após se converter a Cristo. Milagrosamente, escapou de ser morto por animais ferozes, num relato que lembra a história bíblica do profeta Daniel.

Segundo foi noticiado pela Christian Today, o advogado egípcio Majed El Shafie entregou sua vida a Cristo depois de ser evangelizado por um amigo e estudar a Bíblia com ele. El Shafie era um homem influente em sua comunidade. Nascido e criado em família muçulmana, após sua conversão foi proibido de advogar e acabou preso por apostasia. Enviado para Abu Zaabel, no Cairo, passou meses na penitenciária conhecida como “Inferno na Terra”.

Enquanto estava na prisão, El Shafie foi submetido a várias formas de tortura, incluindo ser espancado, queimado, cortado e amarrado a uma cruz por dois dias inteiros. O tempo todo, seus agressores exigiam que confessasse quem eram os cristãos com quem ele se reunia.

Certo dia, durante uma sessão de tortura, cães ferozes foram colocados pelos guardas na sala onde ele estava. O advogado temeu ser devorado vivo, pois os animais estavam famintos, mas permaneceu em oração e viu uma cena que lembra a história bíblica de Daniel na Cova dos Leões. Os cães ficaram calmos e sentaram perto de El Shafie, sem feri-lo. Seus captores ficaram irritados e trouxeram outros cães, mas aconteceu a mesma coisa.

No quarto dia de sua tortura, o ex-muçulmano decidiu confessar: “Eu vou dizer quem é o nosso líder, e se vocês puderem pegá-lo, ele poderá dizer os nomes de todos os membros. O nome do nosso líder é Jesus Cristo”. Isso deixou os guardas ainda mais nervosos.

Apanhou tanto que, dias depois, foi levado para um hospital para se recuperar de seus ferimentos. Desidratado por ter ficado dias sem comida nem água, conta que recebeu uma visita de Jesus, que lhe ofereceu água.

Foi quando soube que tinha sido condenado à morte. Com a ajuda de amigos, ele conseguiu fugir para Israel. De lá, foi para o Canadá, onde foi aceito como refugiado. Estou teologia e se tornou pastor. Há anos vem trabalhado para ajudar os cristãos perseguidos. Fundou a One Free World International uma ONG que luta pelos direitos humanos, sobretudo a liberdade religiosa.

“Nossos inimigos têm um exército muito forte, tem armas muito fortes, mas nós temos o Senhor Todo-Poderoso. Eles podem matar o sonhador, mas ninguém pode matar o sonho”, ensina.

Recentemente, recebeu o prêmio “Raoul Wallenberg Citation for Moral Courage”. Quando dá seu testemunho, menciona a história dos cães. “Eles são treinados para ouvir seus mestres, mas não há maior mestre que o Senhor Jesus Cristo”, comemora.

Fonte: Gospel Prime

Anúncios

Malásia tem “centro de purificação” para tentar fazer cristãos negarem a fé

A reportagem do canal CBN News investigou a denúncia que o governo da Malásia estava internando muçulmanos que se converteram a Jesus. O local, que tem o nome oficial de “Centros de Purificação da Fé” fica no meio de uma floresta e se parece em muito com uma penitenciária.

Quando um ex-muçulmano é denunciado, pode ser forçado a ficar ali por um período indeterminado. Embora oficialmente se divulgue que a internação é voluntária, as denúncias feitas por líderes cristãos é que se trata de uma “pena alternativa” aos que foram condenados por apostasia.

Seguindo a lei da sharia, os juízes muçulmanos podem condenar que abandona o Islã à morte. Desde 2013, Mohd Al Adib Samuri, da Universidade Nacional da Malásia vem divulgando relatos de pessoas que foram presas pela polícia e conduzidas para o centro que é gerido pelo governo. Não há acusação formal nem julgamento.

Um dos ex-detentos, que conseguiu fugir de lá, conta que fugiu para a Índia pois sabia que eles o matariam se voltasse. Seu nome não foi revelado por razões de segurança, mas conta que pediu um advogado, mas as autoridades disseram que ele não precisaria de um, pois o local era como uma escola para “reeducação”. Ele sequer pode avisar sua família sobre o que acontecia.

Segundo relatos divulgados pela emissora, existem pelo menos três desses centros, que funciona em um regime quase militar. Os internos possuem horários rígidos e passam horas ouvindo sobre o Islã e sendo questionados sobre os ensinamentos do profeta Maomé. Muitos são criminosos ou viciados em drogas, mas os cristãos recebem o mesmo tratamento. Para sair, eles precisam dar provas concretas de que seguirão as leis islâmicas.

Os “apóstatas” precisam negar a Cristo. Não se sabe quantos já passaram pelos locais, que são vistos pelos líderes muçulmanos como um benefício para a comunidade. O professor Samuri explica que entre as atividades que todos são obrigados a participar estão: aulas de Alcorão, sessões de reorientação da fé, orações congregacionais, aconselhamento em grupo, serviços comunitários, ginásticas e oficinas como jardinagem e agricultura.

Aqueles cristãos que se recusam a negar sua fé são espancados e ameaçados. Um dos ex-detentos conseguiu sair, mas descobriu que as autoridades haviam confiscado sua casa e seu local de trabalho. Ele conta que precisa continuamente se esconder das autoridades e tem sido ajudado por outros cristãos.

O governo malaio oficialmente nega que exista perseguição religiosa, mas só existe tolerância com pessoas que nascem em famílias tradicionalmente cristãs. Segundo a Missão Portas Abertas a Malásia é dos países que mais persegue os cristãos no mundo. Embora a conversão seja proibida por lei, estima-se que eles já totalizam 10% da população.

Terrorista de Nice é ligado ao Islã radical, confirma premier francês

Terrorista de Nice é ligado ao Islã radical, confirma premier francês

Mohamed Lahouaiej Bouhlel usou caminhão para matar 84 pessoas Parte da imprensa internacional está tentando desassociar o atentado terrorista em…

Mohamed Lahouaiej Bouhlel usou caminhão para matar 84 pessoas

Parte da imprensa internacional está tentando desassociar o atentado terrorista em Nice, França, de motivações religiosas. Assim como fizeram com o atirador de Orlando, a mídia procura achar indícios que possam mostrar que eles mataram simplesmente por matar ou por terem problemas.

Desde que os vídeos do Estado Islâmico se tornaram populares nas redes sociais, grandes empresas de comunicação decidiram parar de noticiá-los. Temendo ofender os islâmicos que não apoiam o terrorismo, políticos influentes pediram que a expressão “Estado Islâmico” fosse banida pela imprensa.

Após o atropelamento dia 14, que deixou 84 pessoas mortas e dezenas de feridos, a tentativa foi a mesma. Um suposto primo de Mohamed Lahouaiej Bouhlel, o homem por trás do volante, procurou a imprensa para dizer que o homem morto pela polícia não era muçulmano. A maioria das manchetes de jornais destacava que foi um caminhão que provocou as mortes, como se ele tivesse agido de maneira independente. Pouco espaço foi dado ao fato de que o Estado Islâmico comemorou as mortes e fez pedidos que mais pessoas fossem atropeladas na França.

O atentado foi classificado pelo presidente François Hollande apenas como “terrorista”. Contudo, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls veio a público nesta sexta-feira (15) afirmar que as mortes de inocentes estavam relacionadas ao radicalismo islâmico. As autoridades ainda investigam quais eram as conexões do tunisiano que dirigia o caminhão e se ele possui cúmplices.

Na mesma entrevista, Valls reafirmou que a coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos irá aumentar as investidas militares contra as forças do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Perfil não era de terrorista

O que se sabe até o momento é que Mohamed Bouhlel tinha 31 anos. Nasceu na Tunísia, mas vivia há muitos anos em Nice, na Riviera francesa. Ele era divorciado e tinha três filhos. Fora preso por crimes como roubo e violência, mas não era vigiado como potencial terrorista.
Marcada por dois atentados extremistas em 2015 – no Charlie Hebdo e na boate Bataclan- , a França estendeu seu estado de emergência, que deveria terminar em 15 dias. Agora ficará em vigor até outubro. Este regime, facilita as operações policiais e a prisão domiciliar de suspeitos.

por Jarbas Aragão

Correspondente do Sudeste Asiático vem ao Brasil

“O Espírito Santo dá sabedoria e entendimento para que a palavra de Deus seja compreendida” (Irmão Josil)

15 FotoNoticia_Josil

O irmão Josil* é um Correspondente Internacional da Portas Abertas que atua no Sudeste Asiático e que já viveu histórias surpreendentes enquanto evangelizava diversos países dessa região. Durante o período em que trabalhou no Butão, 38º país da atual Classificação da Perseguição Religiosa, ele compartilhou vários testemunhos de mulheres que participaram de um discipulado, em um dos centros de formação. “Quase metade da turma não sabia ler e nem escrever, então foi preciso muita paciência e determinação. Mas, o Espírito Santo dá sabedoria e entendimento para que a palavra de Deus seja compreendida. Muitas mulheres butanesas foram transformadas pelo poder do Senhor”, diz Josil.

Uma das mulheres evangelizadas comentou: “O aprendizado mais importante de todos vem através dos testemunhos. Mas, para ter um bom testemunho, eu entendi que é necessário ter um encontro pessoal com Jesus. Precisamos conhecer a verdade a respeito do Salvador”, afirmou Minnie*. Muitas outras mulheres testemunharam sobre cura e libertação, embora nem todas tenham encontrado um caminho fácil para seguir o cristianismo. “Meu marido sempre foi contra minha decisão até que, um dia, fiquei muito doente e ele buscou a ajuda de vários monges. Não alcançando a cura, ele desafiou meu Deus, e disse que se eu sobrevivesse, ele se converteria também. Jesus me curou e então ele teve fé. Foi um caminho árduo, mas eu venci”, disse Kamila*.

No Sri Lanka, os desafios também foram grandes para Josil e ele irá contar suas histórias vividas lá assim que chegar ao Brasil. Suas experiências e a forma como lida com a perseguição religiosa vão impactar a igreja brasileira. Josil estará entre nós do dia 15 de setembro a 3 de outubro nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Fortaleza. Se você tem interesse de convidá-lo para testemunhar em sua igreja, entre em contato com a Portas Abertas pelo e-mail falecom@portasabertas.org.br ou pelo telefone 2348 3330. Ele também estará presente no Shockwave XP, que acontecerá no dia 17 de setembro em São Paulo e no dia 24 em Recife.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Polícia Civil do RN tem novo delegado geral

O governador do estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, nomeou nesta sexta-feira (15), por meio do Diário Oficial do Estado (D.O.E), o delegadoJosé Claiton Pinho de Souza para exercer o cargo de provimento em comissão de delegado geral da Polícia Civil, da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), em substituição ao delegado Stênio Pimentel que esteve no cargo por 18 meses.

Em sua trajetória profissional, o delegado Cleiton Pinho já atuou a frente das 1ª e 2ª Delegacia de Polícia de Mossoró, delegacia de Apodi, delegacia de Areia Branca, Delegacia de Furtos e Roubos de Mossoró, Deprov em Natal, delegacias regionais de Mossoró e Macau, subcoordenadoria do ITEP e Dehom Mossoró. Ele também esteve na Força Nacional, foi diretor do Copi (Comando de Policiamento do Interior) e atualmente exercia a função de diretor de Polícia Civil do Interior.

Entre os colegas de trabalho, o novo delegado geral da Polícia Civil é conhecido pela sua competência, experiência e dedicação com o serviço público. Trabalhando maior parte de sua carreira profissional no interior do estado, Cleiton Pinho sempre teve o reconhecimento da sociedade, destacando o trabalho dele no combate a criminalidade em prol da segurança pública.

 Claiton Pinho

ABC x América: Juizado do Torcedor recomenda que torcida do América não compre ingressos acima da sua cota‏

A Coordenação do Juizado do Torcedor recomenda que os torcedores do América Futebol Clube, time visitante na partida com o ABC Futebol Clube, válida pela primeira rodada do 2º turno do Campeonato Brasileiro da Série C, evitem comprar ingressos além da cota prevista para o clube. A partida está marcada para o sábado, 23 de julho, às 19h, no estádio Maria Lamas Farache (Frasqueirão). A carga de ingressos destinada ao time do América será de 10% do total, correspondente a 1.480 ingressos, segundo a Assessoria de Imprensa do ABC, mandante da partida.

O objetivo da recomendação é o de prevenir tumultos antes, durante e depois do jogo, com eventuais tentativas de torcedores do time visitante em comprar quantidade de ingressos além do previsto e, consequentemente, buscarem acesso a dependências ocupadas por adeptos do time mandante, com camisas do América ou não.

“O Juizado também age de forma preventiva e por isso fazemos este apelo ao bom senso dos torcedores que não adquiram ingressos além da carga disponibilizada ao América Futebol Clube com intuito de ingressarem em setor diverso ao time visitante”, alerta o juiz Agenor Fernandes, coordenador do Juizado do Torcedor.

Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do RN
Praça 7 de Setembro, S/N – Natal/RN, 59025-300 | (84) 3616-6392

NOTA – HOSPITAL SANTA CATARINA‏

A despeito de boatos que estão circulando nas redes sociais de que a Recepção e a Triagem do Hospital Santa Catarina estariam fechados, prejudicando o atendimento, a diretora geral da unidade hospitalar, Maria José de Pontes, informa que o serviço continua normal e que em nenhum momento foi prejudicado.

Com relação ao assunto, a Sesap inclusive já providenciou o deslocamento de dois vigilantes para o local, a fim de manter a segurança dos profissionais e dos pacientes daquela unidade.