Arqueologia pode ajudar a comprovar dilúvio bíblico

china-diluvio-arqueologia

Escavações arqueológicas no Vale do Rio Amarelo, na China, oferecem evidências sobre o dilúvio descrito na Bíblia. Uma equipe de arqueólogos e geólogos da Universidade de Pequim, liderados por Qinglong Wu, encontraram comprovações de que houve uma inundação catastrófica cerca de 4.000 anos atrás.

O estudo foi divulgado pela revista Science, juntamente com a descoberta de um importante sítio arqueológico na região do Vale do Rio Amarelo. No local foram encontrados ossos de crianças que teriam ficado presas em meio a uma inundação. Os testes nas ossadas apontam o ocorrido por volta do ano 2.000 a.C., data provável do dilúvio de Noé.

A narrativa bíblica sobre o ocorrido descreve o dilúvio como tendo sido global. Gênesis 7.11 afirma que “se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram”. Por isso, os cientistas afirmam que diversas culturas têm como tradição relatos a cerca de um grande dilúvio.

“Há milhares de metros de sedimentos de Dilúvio em todo o globo. São evidências de um dilúvio global catastrófico. Os cientistas não estão dispostos a olhar para isso porque foram doutrinados a acreditar que foram se acumulando ao longo de milhões de anos”, explica o cientista Ken Ham.

As pesquisas apontaram que o grande dilúvio na China teria transbordado a região em um nível de água acima de 38 metros e as águas podem ter levado mais de seis meses para voltar ao nível normal.

Anúncios
Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s