Sesap integra pesquisa nacional sobre arboviroses

         A Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) está participando, com a UFRN, de um dos 70 projetos de pesquisa selecionados no País sobre arboviroses, que terá duração de quatro anos. A apresentação do projeto foi feita pela Dra. Maria de Fátima Freire de Melo Ximenes, da UFRN e aconteceu na tarde desta quinta-feira (2), no auditório da Regulação, para uma plateia formada por profissionais de saúde que atuam nas mais diversas áreas, principalmente no Controle Vetorial e Epidemiologia.

         A secretaria irá contribuir com as estatísticas, fornecendo os dados e informações sobre as arboviroses no período delimitado para o estudo, que é fundamentado nas ações integradas de pesquisa, ensino e extensão para o desenvolvimento sustentável. A linha temática é Desenvolvimento e Avaliação de Estratégias para o controle de vetores em seus vários estágios de desenvolvimento.

         Para a pesquisadora, é fundamental envolver profissionais e acadêmicos nesta pesquisa: “Ter pessoas formadas é essencial. Temos avanços tecnológicos importantes em muitas ferramentas, como a produção de fármacos, de vacinas, mas não podemos prescindir de pessoas com boa formação em Entomologia”, afirmou Fátima Praxedes.

Segundo ela, os dados da chikungunya e zyka vírus por si sós já serviriam para justificar a aprovação do projeto. “É preciso parar para enfrentar essas questões, por mais difíceis que sejam. Por meio da educação é possível alterar a cultura”, afirma. O projeto se propõe a dar continuidade a estudos sobre a distribuição e abundância de mosquitos dos gêneros aedes e hamaegogus no interior e no entorno de duas zonas de proteção ambiental de Natal, buscando relacionar essa ocorrência com referenciais biológicos, climatológicos, ecológicos, sociais e epidemiológicos.

Estudantes dos níveis de graduação, mestrado e doutorado irão participar das pesquisas, onde, entre outros, será analisada a ação de extratos de sementes nas fases dos ciclos de vida do aedes e a proposição de um modelo de educação ambiental para intervenção eficaz de controle vetorial com redução do uso de inseticidas químicos. Outro objetivo é analisar o comprometimento da população em relação às ações de educação em saúde, e a prática de comportamentos e ações saudáveis.

O estudo também se propõe a avaliar áreas de risco aumentado para transmissão das arboviroses, o registro e expansão dos casos de zyka, chikungunya e outros vírus, além de monitorar e identificar espécies potencialmente envolvidas com a transmissão do vírus no RN.  Serão realizadas ações educativas na perspectivas da integração entre a pesquisa, ensino e extensão, com a participação ativa de alunos de iniciação científica e pós graduação, para difundir a ciência para as populações de pouco acesso.

Para entrevistas:

Maria de Lima – Subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE)

Telefones: 3232 – 2727/ 99971 – 0454

Anúncios
Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s