JORNALISTAS DO RIO GRANDE DO NORTE SE MOBILIZAM POR SALÁRIO DIGNO

Após duas rodadas (reuniões) de negociação da Campanha Salarial dos Jornalistas do RN, sendo a primeira realizada no dia 05 de outubro e a segunda no dia 26 deste mês, participaram das reuniões, representando o Sindjorn, a presidente Nelly Carlos, e a Diretora de Comunicação Ana Paula Costa, na primeira reunião; e Nelly Carlos, Jan Varela e Rudson Soares Pinheiro, Diretores de Formação e Mobilização; e representando os patrões, o empresário Ricardo Alves, Presidente do Sindicato das Empresas de Jornais e Revistas do RN, acompanhado de diretores dos Diários Associados (Diário de Natal), da Tribuna do Norte, e das TVs BandNatal e Intertv Cabugi, além da advogada do sindicato patronal.
 
O Sindjorn, seguindo orientação da categoria, que deliberou em seu ultimo Congresso Nacional a luta por um piso salarial compatível que a realidade econômica em que o país vive apresentou proposta de Acordo Coletivo para os patrões. O Salário de jornalista no Rio Grande do Norte é o menor do país, no nordeste o maior salário do é de Alagoas, onde um jornalista ganha R$2.114,00; na Paraiba, 1.800,00. É uma vergonha no Rio Grande do Norte os jornalistas terem um salário base de R$ 900,00. A proposta de R$ 1.500 busca atualizar nossos salários e equipara-lo
 
Segue abaixo resumo das nossas propostas e em anexo a proposta completa da categoria e a contraproposta dos Patrões:
 
Correção e atualização dos salários (Clausula 1) de R$ 900,00 para R$ 1.500,00 repondo as perdas dos últimos anos;
 
Criação de auxílio-alimentaçao (cláusula 2) no valor de R$220,00;
 
Anuênio (clausula 10) a partir já do primeiro ano de trabalho;
 
Atualização monetária das Diárias (Clausulas 15)- ver tabela no doc. Anexo;
 
Retorno do Delegado sindical (Cláusula 32).
 
Durante a segunda rodada de negociação foi apresentada um contraproposta dos patrões composta por 31 clausulas. VEJAMOS:
 
ACABAR COM PISO SALARIAL – ELES QUEREM PAGAR O TRABALHADOR O QUE QUISEREM. CASO APROVADO, APARTIR DA ASSINATURA DO ACORDO, AS EMPRESAS PODERÃO CONTRATAR JORNALISTA COM VALORES DIFERENCIADOS, INCLUSIVE ABAIXO DOS ATUAIS R$900,00.
 
REAJUSTE DE 3,50% – PROPOSTA QUE NÃO REPÕE NEM A INFLAÇÃO DO PERÍODO
 
FIM DO ANUÊNIO – SIMPLESMENTE EXTINTO
 
FIM DAS DIÁRIAS – TRANFORMADO EM HORA EXTRA COM O NOME DE ADCIONAL DE VIAGEM
 
BUROCRACIA NA DEFESA JUDICIAL – AS EMPRESAS SÓ CUSTEARÃO ADVOGADO PARA DEFENDER OS JORNALISTAS EM CASO DE PROCESSO SE A MATÉRIA FOR “AUTORIAZADA EXPRESSAMENTE E POR ESCRITO PELA DIREÇÃO”.
 
DURAÇAO – PROPÕE QUE O ACORDO TENHA VALIDADE DE DOIS ANOS, SENDO RENEGOCIADO APENAS EM 2012.
 
DELIBARAÇOES DA ASSEMBLEIA:
 
Ontem (27), realizamos reunião ampliada com a categoria na sede do sindicato, onde participaram trabalhadores de várias empresas (tv’s e jornais) quando debatemos a atual situação e deliberamos por uma agenda de mobilização que culminará na Assembléia Geral que realizaremos no próximo dia 04 (quinta-feira), as 19 horas, na sede do Sindicato.
 
Paralelo a isso vamos criar um blog e um twitter e fechar parceria com o movimento estudantil. Também articularemos a disposição de faixas de apoio de outros sindicatos e centrais sindicais.
 
 
 
É HORA DE MOBILIZAR!
 
OS JORNALISTAS DO RIO GRANDE DO NORTE VÃO À LUTA.
 
POR DIGNIDADE E RESPEITO!
 
 
 

Sesap esclarece sobre os cuidados contra sarampo

Em razão da situação epidemiológica de sarampo enfrentada pelo estado da Paraíba, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE), alerta para a manutenção das medidas de prevenção e controle da doença no Rio Grande do Norte.

De acordo com a subcoordenadora da SUVIGE, Juliana Araújo, não foram confirmados até o momento ocorrências de sarampo no RN. Explica a subcoordenadora que em 2008 houve uma grande campanha contra a rubéola, quando foi ofertada a vacina Dupla Viral, que protege também contra o sarampo. Mas que é importante ficar atento ao calendário vacinal e procurar manter as vacinas sempre em dia, não pode haver relaxamento – alerta”.

Ainda de acordo com Juliana Araújo, a sociedade deve adquirir uma postura de vigilância observando a manifestação de sintomas, como febre acima de 38 graus e manchas vermelhas no corpo. Neste caso, um médico deve ser procurado imediatamente.

Outra medida preventiva é observar se a caderneta de vacinação está em dia, tanto de crianças quanto de adultos.

Crianças a partir de 1 ano tomam uma dose e um reforço entre os quatro e seis anos de vida. Adolescentes na faixa etária de 11 a 19 anos, se tiverem tomado apenas uma dose, devem aplicar uma nova dose. Caso não tenham nenhuma dose anterior comprovada, tomar duas doses, com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda. Se tiverem duas doses comprovadas (dupla ou tríplice viral), já estão imunizados.

No caso de adultos na faixa etária entre 20 a 49 anos, se não vacinados, devem procurar um posto de saúde para tomar uma dose da vacina. Se tiverem uma ou mais doses registradas em sua caderneta de vacinação (dupla ou tríplice viral), já podem se considerar vacinados e plenamente imunizados.

A vacina contra o sarampo está disponível gratuitamente na rede básica de saúde e faz parte do calendário anual de vacinação.