Com usina fotovoltaica do Campus Lajes, IFRN bate meta de produção energética para 2016

Instituto passa a ter potência de produção de energia superior à da maior usina em operação no RN

Na segunda-feria desta semana, dia 26 de dezembro, entrou em funcionamento a 12ª usina fotovoltaica do IFRN, a do Campus Lajes, após inspeção e autorização da Cosern. A expectativa é que o gerador forneça anualmente 85,2 MWh, cobrindo cerca de 40% do consumo anual atual da unidade de ensino. De acordo com o engenheiro eletricista do IFRN Franclin Róbias, isso representará uma economia de no mínimo R$ 28,9 mil na despesa bruta com o fornecimento de energia elétrica. “Além do benefício econômico, cerca de 11 T/ano de CO2 deixarão de ser lançados na atmosfera”, completa.

Este é o 12º gerador fotovoltaico instalado no Instituto. “Assim a Instituição fecha 2016 batendo a meta com a expressiva marca de 1,2 MWp fotovoltaico distribuídos no estado, potência superior à da maior usina fotovoltaica em operação no RN, a Usina Fotovoltaica Alto do Rodrigues (UFVAR), com 1,1 MW, pertencente à Petrobras”, comemora o engenheiro.

Para o professor Alexandro Vladno, que já foi coordenador do curso Tecnólogo de Energias Renováveis do Campus João Câmara e hoje é diretor acadêmico do Campus Lajes, a experiência do IFRN com as usinas fotovoltaicas é um exemplo para todo o país. “Além de contribuirmos com a diversidade na produção de energia, ainda oferecemos um espaço de pesquisa para nossos estudantes e professores. Isso tem atraído a atenção de profissionais e outros pesquisadores da área, comentou.

USINAS FOTOVOLTAICAS NO IFRN

Em 2017, serão instalados minigeradores de 110 kWp nos campi Natal-Zona Norte e Santa Cruz. Mossoró também será contemplado com um gerador de 137,5 kWp. A expectativa da Diretoria de Engenharia do Instituto, focada na sustentabilidade, é conseguir contratar, ainda em 2017, usinas de energia solar para todas as outras unidades do IFRN. Hoje, além do Campus Lajes, há usinas na Reitoria e nos campi Caicó, Canguaretama; Ceará-Mirim; Currais Novos; João Câmara; Natal-Central; Parelhas;  Pau dos Ferros; São Gonçalo e São Paulo do Potengi.

Com potência instalada de 50 kWp, o gerador do Campus Lajes seguiu o mesmo projeto do equipamento instalado no Campus Parelhas (em 2015), composto de 200 painéis solares policristalinos de 250 Wp (Watt pico), da Canadian Solar, ocupando área de 320m² sobre a cobertura do prédio principal. Dois inversores trifásicos de 27 kW, modelo Trio da ABB, realizam a conversão da energia gerada em corrente contínua para corrente alternada, utilizada pelas cargas elétricas da unidade.

O IFRN foi a primeira instituição pública do estado a aderir ao sistema de compensação de energia regulamentado pela Resolução Normativa 482/2012 da ANEEL. Conforme a REN 482/2012, um consumidor de energia elétrica que instale pequenos geradores em sua casa, condomínio ou empresa (como, por exemplo, painéis solares fotovoltaicos e pequenas turbinas eólicas) pode utilizar a energia gerada para abater o consumo de energia elétrica da unidade. Quando a geração for maior que o consumo, o saldo positivo de energia poderá ser creditado na fatura dos meses seguintes.

Atenciosamente,

Assessoria de Comunicação Social e Eventos

Reitoria | IFRN

(84) 4005-0757

Corpo de Bombeiros dá dicas de segurança para queimas de fogos no réveillon  

O dia 31 de dezembro é a data em que população se prepara para a noite mais iluminada do ano. Para se despedir do ano de 2016 de maneira segura, contemplando o espetáculo de luzes e cores no céu, com a tradicional queima de fogos de artifício, o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN) orienta a população de como comemorar o réveillon com segurança, seja em ambientes domésticos ou em eventos abertos.

Os fogos de artifício fazem parte da nossa cultura. Faz parte da tradição, saudar o ano novo com fogos de artifício, no entanto, por vezes, eles são soltos por pessoas inabilitadas ou empresas não credenciadas, o que provoca aumento no número de ocorrências de pessoas lesionadas, inclusive com mutilações irreversíveis.

“Com relação aos fogos de artifício é preciso ficar atento à procedência, às especificações técnicas para o uso, a data de validade, se o produto é certificado pelo Inmetro e ainda a faixa etária que ele pode ser utilizado”, explica o capitão Daniel Gleidson, que atua no Serviço Técnico de Engenharia (SERTEN) do CBMRN.

O capitão explica que a maior parte dessas ocorrências acontece em festejos dentro de casa, quando a manipulação de explosivos se dá de forma inadequada. “A maior parte das pessoas que compra esse material sequer lê a embalagem, as instruções de uso. Muitos ainda soltam foguetes sob efeito de bebidas alcoólicas ou deixam que crianças e adolescentes manipulem esses artefatos”, observa.

Cada tipo de produto Pirotécnico tem uma classificação, de acordo com o seu poder de explosão ou queima. Essa classificação está adequada à idade do usuário e de acordo com a norma do Ministério do Exército, R 105, para isso todo produto deve possuir na embalagem sua classificação, que pode ser: Classe A (Infantil) – Podem ser vendidos a menores e sua queima é livre (recomendável assistência de adultos); Classe B (Juvenil) – Podem ser vendidos a menores, mas a sua queima é proibida em terraços, portas ou janelas que tenham proximidade com vias públicas (também sob a assistência de adultos); Classe C (Adulto) – Venda proibida a menores de 18 anos; Classe D (Profissionais) – Venda proibida a menores de 18 anos em qualquer hipótese. Só pode ser queimado com licença prévia da autoridade competente.

Confira mais algumas dicas

·         Evite a compra de material clandestino, que na maioria das vezes não é testado.

·         Confira sempre o certificado de garantia do foguete.

·         Ao utilizar os fogos de artifício leia atentamente as instruções contidas na caixa.

·         Não segure os fogos de artifício com as mãos. Compre artefatos que venham com a base para encaixar no suporte dos fogos de artifício, para que seja possível colocar no chão.

·         Prenda o rojão em uma armação, em uma cerca ou em um muro, e não fique próximo na hora de acender.

·         A distância para explodir os fogos com segurança é de 30 a 50 metros de pessoas, edificações e carros.

·         Não tente acender fogos que falharem. Se não ocorrer a detonação, jamais tente reutilizá-lo. Tenha sempre um recipiente de água por perto para colocar os foguetes já usados, ou aqueles que falharam, para não haver riscos de novas explosões.

·         Dispare os fogos somente ao ar livre, um de cada vez, e veja se não há substâncias inflamáveis ou redes elétricas nas proximidades.

·         Nunca atire fogos de lugares fechados, como carros ou residências.

·         Nunca atire fogos na direção de outras pessoas.

·         Nunca faça experiências, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício.

·         Nunca utilize fogos após ingerir bebidas alcóolicas;

·         Não desmontar os fogos;

·         Não fumar dentro dos estabelecimentos que vendem fogos;

·         Uma simples bombinha, se estourar muito perto do rosto de alguém ou de outras partes do corpo, pode causar cegueira, trauma acústico ou mutilação.

·         Não deixar as crianças manipularem, tampouco permanecerem próximas aos fogos.

·         Mantenha a caixa de fósforos ou isqueiros longe do alcance de crianças para que elas não utilizem esses materiais escondidas de você.

·         Em caso de queimaduras, a recomendação inicial é esfriar a lesão com água corrente e fria. Não deve ser colocado nenhum produto em cima, como pasta de dente, manteiga, clara de ovo ou nada que o vizinho diga que se deve fazer. Envolva o membro ou a extremidade queimada e leve a vítima a um hospital, ou a um posto de saúde para que um médico que possa avaliar.

Exposição revive trabalhos visuais dos pacientes do Hospital João Machado

         Nos dias 21 e 22 de dezembro o Hospital Psiquiátrico Doutor João Machado abre a exposição “Ouça” com parte do acervo visual do setor de terapia ocupacional do hospital. São desenhos realizados pelos pacientes entre os anos de 1962 e 1979 durante as aulas de praxiterapia.

         Os trabalhos serão expostos no auditório do hospital, das 8h às 16h. Todo o material foi organizado pela aluna do curso de licenciatura em Artes Visuais da UFRN, Pollyanne Azevedo. A exposição fez parte do trabalho de conclusão de curso da aluna, que teve todo o apoio da direção do hospital no acesso aos materiais, prontuários e composição da instalação. “Os desenhos permitiram fazer uma leitura daquela época e resgatar um pouco da história do hospital. Também observamos a importância do desenho como forma de expressão e comunicação para os pacientes e das atividades artísticas como parte do tratamento”, disse Pollyanne.

         Ao todo são 4 volumes contendo 534 produções. A exposição exibe apenas parte deste acervo, mas de acordo com Pollyanne a expectativa é construir um memorial com fotos e outros materiais, fazendo um resgate da história do hospital.  “O nome da exposição ‘Ouça’ vem dos próprios desenhos, eles falam e para ouvir é preciso fazer uma leitura visual. A catalogação desses livros é apenas o começo. Estamos tentando organizar todo o material para a construção de um memorial”.

Contatos para entrevistas:

Pollyanne Azevedo – 98808-7777

Ednilson Pereira (Diretor Administrativo do Hospital João Machado) – 98702-2302

CRF-RN realizará concurso para nível médio e superior

 

O Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Norte (CRF-RN) abrirá concurso público para preenchimento de vagas e cadastro de reservas em 2017. Serão oferecidas vagas para advogado (1), farmacêutico-fiscal (1) e agente administrativo (1), além de formação de cadastro para contador. Os salários variam de R$ 1.846,31 a R$3.573,51, para jornada de 40h semanais. A previsão é que o edital seja publicado até 31 de dezembro de 2016.

A banca organizadora do certame será a Consulpam. A estimativa é que a taxa de inscrição custe R$ 59,00 para nível médio e R$ 75,00 para nível superior. O concurso será composto por provas objetivas e redação, além de provas de títulos para nível superior. Os candidatos à vaga de farmacêutico-fiscal passarão ainda por exames psicotécnicos. As vagas são para lotação em Natal, exceto para o cargo de farmacêutico-fiscal que pode ser em Natal ou Mossoró.

O último concurso da autarquia ocorreu em 2007 e ofertou quatro vagas para empregos públicos de nível médio e superior.

www.crfrn.org.br

Assessoria de Comunicação:

3221-1211/ 9 8851-5734

comunicacao@crfrn.org.br

Crescimento das síndromes neurológicas associadas ao Aedes preocupa especialistas

No segundo dia do “Seminário Norte-riograndense sobre arboviroses e suas complicações”, os pesquisadores abordaram o crescimento das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypt no País, com destaque para as síndromes neurológicas. O evento acontece até esta quarta-feira (14), no auditório da reitoria da UFRN.

Com a Conferência “Arboviroses: O que dizem os números”,  ministrada por Roberto Leica, do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) abriu os trabalhos no turno da manhã.

Em seguida os pesquisadores se dividiram na Mesa Redonda: “Diagnóstico e Investigação de casos suspeitos de Arboviroses”, um momento considerado importante pelos participantes, pois foi apresentada a pesquisa de Arboviroses no RN, que está sendo realizada pelo professor da UFRN Josélio Maria Galvão Araújo. A representante do Instituto Evandro Chagas do Pará, Lívia Martins, apresentou como é realizado o diagnóstico laboratorial da dengue, zika, chikungunya e febre amarela no laboratório que é referência mundial na área. E para finalizar, Emerson Luiz Lima Araújo, da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, falou dos desafios para investigação e encerramento de óbitos suspeitos de arboviroses.

Já no período da tarde, os especialistas apresentaram o quadro das síndromes neurológicas que estão sendo associadas às arboviroses e como estão sendo diagnosticadas e tratadas. Os médicos do Hospital Onofre Lopes, Marcelo Marinho, Paulo Santiago e Mário Emílio abordaram os seguintes temas: Mielites, uma doença neurológica causada por um processo inflamatório na medula espinhal; Encefalites, que são infecções agudas do encéfalo e a Síndrome de Guillian Barré, doença autoimune grave, que afeta o sistema nervoso, e que teve um crescimento associado à zika e chikungunya.

O público presente composto por médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde participaram ativamente do evento, tirando dúvidas e interagindo com os debatedores, sobretudo com relação ao diagnóstico das arbovirores dengue, zika, chikungunya, já que os sintomas são semelhantes.

Cerca de 400 pessoas estão participando do evento, que está sendo considerado pelos organizadores como o melhor de todos os tempos. A Sesap está promovendo o seminário com apoio da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e a Pró-Reitoria de Extensão da UFRN.

PROGRAMAÇÃO

QUARTA-FEIRA 14/12

 

08:30 CONFERÊNCIA Arboviroses: avanços teóricos e desafios metodológicos da VEH por Suely Correia (SESAP/RN)

09:00 MESA REDONDA V – Ações Interinstitucionais e Desafios no Enfrentamento à Microcefalia, Mediadora: Valeska Souto (CIEVS/SESAP/RN)

09:00 Investigação de casos de Microcefalia no RN por Marcia Regina de Andrade (Egressa EpiSUS/SVS/MS)

09:30 Protocolos e fluxos no RN por Chyrly Moura (COES/SESAP/RN)

10:00 Experiência de acolhimento e acompanhamento às famílias de crianças com microcefalia por Joyce Naiana P. Lima (SMS Vera Cruz/RN)

10:30 O Ministério Público e o acompanhamento das ações de assistência às famílias de crianças com microcefalia com Rebecca Monte Nunes Bezerra (Promotoria Pública/RN)

11:00 Avanços e desafios da gestão municipal e estadual por Jaciane Santos (COES/RN)

11:30 Debate

12:30 Intervalo para almoço

14:00 MOMENTO CULTURAL – Chorinho

14:30 MESA REDONDA VI – Microcefalia: Diagnóstico e Apoio Terapêutico, Mediador: João Bosco Filho (UERN)

14:30 Aspectos clínicos e implicações dos fatores genéticos na microcefalia por João Ivanildo da Costa Ferreira Neri (CRIE/SESAP/RN)

15:00 Diagnóstico por Imagem por Reginaldo Antonio de Oliveira Freitas Júnior (Instituto de Neurociências/ISD)

15:30 Triagem Neonatal por Reginaldo Holanda (UFRN)

16:00 Estimulação precoce por Carla Ismirna Santos Alves (UniRN)

16:30 Debate

 Para entrevistas:

Maria de Lima – Subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica (SUVIGE)

Celular: 9-9971-0454

Precatórios: TJRN bate novo recorde e paga R$ 176 milhões no atual biênio

A administração do desembargador Claudio Santos à frente do Tribunal de Justiça pagou no biênio 2015/2016 R$ 176 milhões em precatórios. Os dados são desta segunda-feira (12). Nesses quase dois anos, 5162 pessoas receberam os valores dessas dívidas de entes públicos (Estado, autarquias e municípios) do Rio Grande do Norte. A Divisão de Precatórios do TJRN conseguiu pagar, até o momento, 100,83% a mais do que no biênio anterior, 2013/2014. E os números devem aumentar até o final do ano. “Acelerar o pagamento dos precatórios sempre foi uma das prioridades desta gestão, com foco no interesse público e na melhor prestação jurisdicional possível”, salienta o desembargador Claudio Santos.

“Recebemos o relatório de abertura de contas para o recebimento dos precatórios, até a sexta-feira (09), que indicam que somente este ano, pagamos R$ 104,7 milhões”, frisa o chefe da Divisão de Precatórios do TJ potiguar, juiz Bruno Lacerda. Ele estima que o volume de pagamentos vai ultrapassar os R$ 180 milhões. Segundo o magistrado, ele e sua equipe de assessores irão continuar trabalhando durante o recesso, pelo menos até a semana de 19 a 23, com o objetivo de deixar todas as contas abertas zeradas, sem pagamento pendente. “Pagaremos até o limite da disponibilidade financeira das contas de precatórios”, acrescenta o juiz.

Em um mês e meio, o Tribunal registra R$ 26 milhões em novos pagamentos. Em 27 de outubro, os valores parciais pagos no atual biênio eram de R$ 150 milhões. Somaram-se neste período mais 333 pessoas que receberam precatórios. Bruno Lacerda elege a otimização das rotinas com fluxo de trabalho mais racional, especialização e aperfeiçoamento permanente da equipe técnica e existência de recursos financeiros como fatores fundamentais para o aumento no volume de pagamentos.

Os valores pagos poderiam ser muito maiores, caso o Estado não estivesse com um atraso de R$ 65,1 milhões em parcelas mensais, este ano. E caso houvesse lei estadual autorizando a realização de acordo direto com os credores o tempo de espera na fila dos que aguardam o pagamento dos débitos seria reduzido, consideravelmente.

Uma das ações inovadoras da atual gestão do TJRN foi buscar a mediação de acordos diretos entre prefeituras e credores, o que pode consolidar uma tendência para os próximos anos. Esta postura proativa foi inaugurada junto às prefeituras de Caicó e Pendências.

Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do RN
Praça 7 de Setembro, S/N – Natal/RN, 59025-300 | (84) 3616-6392

Operação Démodé: MPRN apura desvio de recursos em São José de Campestre

 

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), através da Promotoria de Justiça de São José do Campestre e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), com o apoio da Polícia Militar, deflagrou, na manhã desta quarta-feira (7), a Operação Démodé, destinada a apurar um esquema de desvio de recursos públicos instalado na Prefeitura Municipal de São José de Campestre/RN, no período de 2010 a 2012, através da contratação da empresa NK Construções para execução de obras no referido Município.

Segundo apurado, a empresa NK Construções, gerida por José Josenildo da Silva e Erivalda Maria da Silva, funciona no próprio endereço residencial deles e, apesar de ter vencido quase todas as licitações, durante o referido período, para execução de obras em São José do Campestre, não tinha registro de empregados contratados até o mês de julho de 2012, tendo registrado apenas seis empregados no mês de dezembro desse mesmo ano.

Ademais, no curso da investigação, foram requisitadas ao então prefeito, José Borges Segundo, as cópias integrais de todos os processos de contratação da referida empresa, durante o mencionado período, todavia, tal documentação nunca fora apresentada.

Há, portanto, fortes indícios de que José Josenildo da Silva e Erivalda Maria da Silva criaram a pessoa jurídica NK Construções (Erivalda Maria da Silva Comercio e Serviços em Construções) com o objetivo único de desviar recursos públicos, movimentando, no mesmo período, de R$ 2.423.559,36, decorrentes de contratos com diversos municípios do Estado do Rio Grande do Norte, tendo causado um prejuízo de mais de R$ 600 mil ao Município de São José do Campestre.

Na oportunidade, foi realizada a prisão em flagrante do ex-prefeito, José Borges Segundo, em decorrência de ter sido encontrado em sua posse, no interior de sua residência, milhares de documentos públicos referentes à sua gestão à frente da Prefeitura.

Participam da operação três Promotores de Justiça e, aproximadamente, oito policiais Militares, para cumprimento de dois mandados de busca e apreensão e dois mandados de condução coercitiva, expedidos pelo juiz da Comarca de São José do Campestre.